Compra da Bombardier pela Alstom é aprovada pelo CADE

Publicado em: 9 de setembro de 2020

Trem da Série 9000 da Alstom na estação Aeroporto-Guarulhos da Linha 13-Jade. Foto: Diário do Transporte

Órgão publicou aprovação do ato de concentração nesta quarta-feira, 09 de setembro

ADAMO BAZANI

Colaborou Willian Moreira

O Cade – Conselho Administrativo de Defesa Econômica, do Ministério da Justiça e Segurança Pública, aprovou a compra da canadense Bombardier pela francesa Alstom, nas operações brasileiras.

A anuência ao ato de concentração foi publicada na edição do DOU – Diário Oficial da União desta quarta-feira, 09 de setembro de 2020.

Nº 971 – Ato de concentração nº 08700.002824/2020-91. Requerentes: Alstom S.A., Bombardier Inc., Caisse de dépôt et placement du Québec – CDPQ. Advogados: Ana Paula Martinez, Marcos Drummond Malvar, Lucas Griebeler da Motta, Milena Fernandes Mundim e Jéssica Gusman Gomes. Com fulcro no §1º do art. 50 da Lei 9.784/99, integro as razões do Parecer Técnico nº 12/2020/CGAA3/SGA1/SG (0801086) à presente decisão, inclusive quanto à sua motivação. Nos termos dos arts. 13, XII, e art. 57, I, da Lei nº 12.529/11, decido pela aprovação sem restrições do presente ato de concentração.

Ambas a empresas atuam no segmento metroferroviário e de infraestrutura para os transportes. A Alstom também fabrica ônibus elétricos na Europa, além de operar setores imobiliários, de construção, mídia e telecomunicações.

Para o Cade, mesmo comprando a Bombardier, a Alstom não terá mais que 20% nos setores que atua globalmente, o que não configuraria truste (estrutura empresarial em que várias empresas, que já detêm a maior parte de um mercado, se ajustam ou se fundem para assegurar o controle, estabelecendo preços altos para obter maior margem de lucro).

Em São Paulo, por exemplo, podem ser vistos trens na CPTM e no Metrô das duas fabricantes.

CPTM

SÉRIE 9000

SÉRIE 2070 (essa Alstom e Bombardier) em 2008 foi modernizado pela CAF

Metrô

Frota F – Linha 5-Lilás (Alstom)

Frota E e G – Alstom

Frota I – Alstom e Siemens (modernização)

Frota J – Bombardier, Tejofran e Temoinsa (modernização)

Frota L – Alstom e IESA (modernização)

Monotrilho:

Frota M – Linha 15-Prata

Adamo Bazani, jornalista especializado em transportes

Colaborou Willian Moreira

Compartilhe a reportagem nas redes sociais:

Comentários

Deixe uma resposta