Demanda de passageiros das concessões da CCR acumula queda de 44,9%

Publicado em: 8 de setembro de 2020

Trem da linha 4-Amarela, uma das concessões juntamente com o Grupo Ruas

Expectativa é de crescimento no último trimestre, mas não o suficiente para recuperar todas as perdas

ADAMO BAZANI

O setor de transportes de passageiros, tanto por trilhos como por pneus, ainda não esboça uma recuperação sustentada mesmo com a retomada gradual das atividades econômicas.

Um dos exemplos é o balanço da CCR, uma das maiores concessionárias brasileiras do setor metroferroviário.

De acordo com os números, divulgados na última sexta-feira, 04 de setembro de 2020, a demanda de passageiros nas concessões que opera acumula queda de 44,9% de 01º de janeiro a 03 de setembro deste ano em relação ao mesmo período de 2019.

Já na comparação entre 28 de agosto de 03 de setembro de 2019 com o período de 2020, a queda é de 55,2%.

Na área de mobilidade, a CCR controla (de forma única ou associada) a ViaQuatro – Linha 4 do metrô de São Paulo, ViaMobilidade – Linha 5 Lilás de Metrô, Barcas S.A. do Rio – Transportes Marítimos, VLT Carioca e Metrô Bahia. O monotrilho da linha 15-Prata de São Paulo ainda não foi assumido pelo grupo por determinação judicial e o monotrilho da linha 17 ainda não está pronto, apesar das obras desde 2010/11. Já na Bahia, é a concessionária responsável pela construção e operação do Sistema Metroviário de Salvador e Lauro Freitas.

O Grupo responde ainda pela CCR Barcas e pelo VLT, ambos no Rio de Janeiro.

No setor aeroportuário a CCR  pela BH Airport, possui 38,25% da concessão do Aeroporto Internacional de Belo Horizonte.

A queda de demanda no acumulado do ano é de 60,2%.

No setor de rodovias, houve queda na movimentação também, mas por causa do transporte de cargas, em menores proporções.

Adamo Bazani, jornalista especializado em transportes

Compartilhe a reportagem nas redes sociais:

Deixe uma resposta