Leblon e Nobel pulverizam ônibus contra a Covid-19 com novo produto aprovado em testes biológicos para o transporte

Publicado em: 25 de agosto de 2020

Ônibus recebendo pulverização na garagem da Leblon/Nobel em Fazenda Rio Grande (PR)

À base de quaternário de amônio, material tem ação mais prolongada e aumenta segurança dos passageiros, segundo testes práticos

ADAMO BAZANI

Todos os ônibus das empresas Leblon Transporte e Viação Nobel passaram a ser pulverizados com um novo produto químico especial que pode aumentar a segurança do passageiro reduzindo o risco de contágio pela Covid-19, provocada pelo novo coronavírus, e por outras doenças causadas por microorganismos, como vírus, bactérias e fungos.

A desinfecção por pulverização e a higienização a cada final de viagem estão sendo realizadas pelas empresas desde o início da pandemia no Brasil, em março, mas há aproximadamente dois meses, foi adotado este novo produto que, segundo testes práticos, apresenta mais qualidade e durabilidade dos efeitos para evitar a propagação dos agentes nocivos à saúde.

As empresas operam linhas em Curitiba e municípios vizinhos, como Fazenda Rio Grande, Mandirituba e Areia Branca, no Paraná.

“O produto tem como um dos componentes em sua fórmula o quaternário de amônio, o que garante ação prolongada contra o vírus. A recomendação da fabricante é que a aplicação seja feita a cada sete dias, mas para ampliar a segurança, após consulta técnica, fazemos a pulverização ao menos duas vezes por semana” – disse o coordenador de qualidade do Grupo Leblon, Renan Jaci Nogueira.

O produto possui laudos de aprovação na Anvisa (Agência Nacional de Vigilância Sanitária) e de comprovação de sua eficácia nos transportes por meio de testes biológicos. Os veículos com o produto saíam para as ruas e, na volta, foram analisadas partes internas e houve a comprovação de que a ação de vírus e bactérias foi neutralizada” – complementou.

O material é antialérgico, não sendo agressivo às vias respiratórias.

De acordo com o Grupo Leblon, além da pulverização na garagem duas vezes por semana, ao final de todas as viagens, equipes de prontidão nos terminais fazem a aplicação deste mesmo produto com panos e borrifadores em áreas de maior contato, como corrimões, balaústres, catracas e apoios nas portas.

De acordo com o departamento de Química da USP – Universidade de São Paulo, os quaternários de amônio são uma família de compostos antimicrobianos agentes ativos catiônicos e agem por destruição das proteínas do micro-organismo. A atuação é diretamente na membrana plasmática ou parede celular bacteriana, inibindo sua síntese do vírus ou bactéria, que é vital para sua sobrevivência. Assim, a aplicação provoca a destruição do micro-organismo. Como 70% da estrutura do novo coronavírus são formados por gordura, a ação na parede de sua membrana com produtos desinfetantes tem se mostrado eficaz.

Os quaternários de amônio têm sido usados no combate à disseminação da Covid-19 pelo Exército e Marinha em ações de desinfecção de áreas públicas e por empresas como as companhias que operam metrôs em Recife e Distrito Federal.

“Com essas ações, o transporte se torna mais seguro, mas é necessário que todos façam sua parte, usando máscaras, deixando as janelas abertas quando possível, higienizando as mãos com água e sabão e álcool em gel, além de tossir ou espirrar em lenços de papel.” – complementou.

A limpeza habitual de interiores e lataria é mantida também, segundo a empresa.

Adamo Bazani, jornalista especializado em transportes

Compartilhe a reportagem nas redes sociais:

Deixe uma resposta