Ônibus a serviço da Buser é apreendido em barreira sanitária em Mato Grosso do Sul

Publicado em: 24 de agosto de 2020

Ônibus sendo abordado na manhã desta segunda-feira, 24. Foto; DivulgaçãoCoordenação de Posturas Municipais

Segundo coordenadoria municipal, empresa de aplicativo é reincidente. O Diário do Transporte entrou em contato com a Buser que, por meio de nota, explicou que segue todos os padrões quanto à segurança sanitária e que protocolou na prefeitura o seu plano de contenção à Covid-19, mas não teve resposta do poder público.

ADAMO BAZANI

A Agetrat (Agência Municipal de Trânsito e Transporte) e a Vigilância Sanitária da Prefeitura de Corumbá (MS) barraram um ônibus a serviço da Buser por volta das 7h00 desta segunda-feira, 24 de agosto de 2020, numa barreira sanitária.

A ação, segundo a prefeitura, ocorreu no posto Lampião Aceso, que fica na BR 262.

A Coordenação de Posturas Municipais recebeu uma denúncia sobre o veículo e foi verificar a entrada do veículo na cidade.

Em Ladário, município vizinho, o embarque e desembarque em ônibus intermunicipais e interestaduais estão autorizados, mas em Corumbá, um decreto municipal proíbe a prática como medida de controle à expansão da Covid-19. A rodoviária intermunicipal e interestadual está fechada desde 23 de março.

Segundo a prefeitura, quando ocorre o procedimento em Ladário, Corumbá deve ser comunicada.

A fiscalização informou que 18 passageiros desembarcariam em Ladráio e Corumbá.

Ao jornal local Diário Corumbaense, o coordenador de Posturas, Luciano Cruz, disse que a Buser é reincidente em ingressar na cidade sem autorização sanitária.

“Em Corumbá, o embarque e desembarque continuam proibidos por decreto municipal, já em Ladário, isso pode ser feito no terminal rodoviário, mas a Vigilância Sanitária tem que ser informada, o que não aconteceu. A Buser é reincidente, outro veículo foi apreendido por essa mesma irregularidade, e agora dentro do processo administrativo, vai ser multada. O valor pode chegar a R$ 29.850,00”

O Diário do Transporte entrou em contato com a Buser que, por meio de nota, explicou que segue todos os padrões quanto à segurança sanitária e que protocolou na prefeitura o seu plano de contenção à Covid-19, mas não teve resposta do poder público.

Desde o retorno de suas atividades a Buser estabeleceu uma série de medidas de segurança para suas operações durante a pandemia, como a redução pela metade dos assentos (oferecendo apenas a opção da janela), distribuição de álcool gel e, antes do embarque, todos passam pela medição de temperatura.

Todas as medidas estão plenamente de acordo com o regramento estabelecido pelo executivo municipal, tanto que o do plano de ações de combate à Covid-19 já havia sido protocolado junto ao órgão responsável há pelo menos 10 dias, sem que nenhuma resposta tenha sido dada pelo Poder Público até então.

A empresa reafirma o seu compromisso de intermediar viagens seguras e consideravelmente mais baratas do que as oferecidas pelos concorrentes.

Adamo Bazani, jornalista especializado em transportes

Compartilhe a reportagem nas redes sociais:

Deixe uma resposta