Transporte público em Pederneiras (SP) volta a circular após 40 dias suspenso

Publicado em: 13 de agosto de 2020

Empresa suspendeu transporte por dificuldades financeiras. Foto: Arquivo / Divulgação.

Município atende determinação do Ministério Público, inserindo linhas circulares com horários reduzidos

WILLIAN MOREIRA

A Prefeitura de Pederneiras, no interior do estado de São Paulo, retomou a operação do transporte público nesta quinta-feira, 13 de agosto de 2020, depois de 40 dias sem atendimento.

O município atendeu a uma determinação do Ministério Público Paulista (MP-SP), colocando ônibus para circular em toda a cidade e nos distritos de Vanglória e Santelmo, com linhas circulares em horários pré-determinados.

Os coletivos vão circular de segunda-feira até às 13h de sábado, com os dias de semana contando com prestação do serviço das 6h às 8h, das 11h às 13h e das 17 até 19h.

Nos dois bairros atendidos, as linhas vão ter somente um horário disponível. Santelmo o ônibus sairá às 7h da manhã e volta às 16h, já em Vanglória, a partida é às 6h e o retorno previsto para 17h30.

Os horários, frequência e rota podem sofrer alterações após avaliação periódica do poder municipal, analisando a demanda de passageiros para evitar maiores prejuízos.

PREFEITURA VAI ARCAR COM OS CUSTOS DA OPERAÇÃO

Quando o serviço foi suspenso há mais de um mês, a concessionária que atua na cidade alegava dificuldades financeiras e prejuízos causados pela baixa demanda, com a Prefeitura enviando para votação dos vereadores, um projeto de lei que enviaria mais recursos ao transporte, retirando de outras áreas.

Em duas oportunidades os parlamentares rejeitaram a medida, o que inviabilizava a retomada da circulação dos ônibus.

Entretanto, após a determinação do MP e a volta dos coletivos, o Poder Público local deverá ressarcir a concessionária dos prejuízos depois de receber semanalmente, planilhas com os gastos realizados por atender a justiça.

Por sua vez, a obrigação contratual com a empresa de ônibus só poderá ser cumprida depois de uma alteração na Lei Orçamentária que será submetida à votação na Câmara, para novo repasse via subsídio.

Willian Moreira em colaboração especial para o Diário do Transporte

Compartilhe a reportagem nas redes sociais:

Deixe uma resposta