Transporte rodoviário seguirá regras para operar em Caruaru (PE)

Publicado em: 10 de agosto de 2020

Foco da ação voltada aos transportes é principalmente veículos de excursões de outras cidades e estados. Foto: Thiago Alex/Ônibus Brasil.

Com a reabertura da Feira de Sulanca, Prefeitura expediu um plano de medidas para impedir a propagação do coronavírus

WILLIAN MOREIRA

A Prefeitura de Caruaru, no estado do Pernambuco, divulgou um plano para a reabertura da Feira de Sulanca, grande ponto comercial da região que atrai muitos visitantes.

O plano abrange o setor de transportes, comércio e outros que devem seguir os cuidados sanitários para evitar aglomerações e a transmissão da Covid-19 nos ambientes.

Para os ônibus de viagem, o documento determina o uso de álcool em gel e sua disponibilidade de fácil acesso, como também o uso de máscaras, capacidade máxima de 50% dos assentos e a medição periódica da temperatura durante o trajeto de ida e volta de Caruaru.

Pessoas com febre mesmo que baixa devem sair do veículo e se for ao embarcar, ter sua entrada negada, com orientações para buscar atendimento em uma unidade de saúde.

Uma relação com a temperatura de todos os passageiros que foi medida ao entrar nos veículos e durante viagens acima de duas horas, deve ficar disponível para conferencia de um dos 300 fiscais espalhados em pontos estratégicos.

Veja abaixo a relação completa das regras destinadas aos ônibus de excursões à Feira de Sulanca:

• Proibição de embarque dos passageiros com temperatura acima de 37,5º C.
• Aferição obrigatória da temperatura dos passageiros.
• Em viagens com mais de 4h de duração, a aferição deve ser feita a cada 2h.
• Garantir o uso de máscaras por todos os passageiros e funcionários da empresa.
• Instalar e manter abastecidos, no interior dos veículos, dispensador de álcool em
gel ou lavatório para higienização das mãos.
• Higienizar o interior e o exterior dos veículos, antes, durante e depois das viagens.
• Lotação máxima recomendada de 50% da capacidade de passageiros por veículo.
• Comunicar aos passageiros sobre as recomendações e riscos de descumprimento do
Plano Sulanca, através de cartazes ou avisos no interior dos veículos.
• Apresentar guia de transporte de passageiros com identificação e temperatura aferida.
• Monitorar a saúde da equipe de funcionários.

Willian Moreira em colaboração especial para o Diário do Transporte

Compartilhe a reportagem nas redes sociais:

Deixe uma resposta