Entidades do transporte rodoviário do Sul do país destacam a solidariedade em tempos de crise

Publicado em: 5 de agosto de 2020

Esta foi a segunda Live do Diário do Transporte, que reuniu representantes do DAER, FETERGS e SAERRGS

ALEXANDRE PELEGI

O transporte começa e termina na rodoviária.

Foi assim que Nelson Noll, Presidente do Sindicato de Agências e Estações Rodoviárias no Estado do RS (SAERRGS) definiu a importância do setor no sistema de transporte rodoviário no estado.

Ele participou ao lado de Lauro Hagemann, Diretor de Transportes Rodoviários e Presidente do Conselho de Tráfego do DAER, e de Pedro Teixeira, Presidente da Federação das Empresas de Transportes Rodoviários do Estado do Rio Grande do Sul (FETERGS), da Live “O Transporte de Passageiros no Rio Grande do Sul: perspectivas e desafios”.

Este foi o segundo encontro realizado pelo Diário do Transporte no sul do país, e marcou nesta quarta-feira, 05 de agosto de 2020, às 17 h, o lançamento da seção Diário no Sul no portal.

O Diário no Sul traz notícias e serviços do setor de transporte de passageiros, urbano e rodoviário, intermunicipal e interestadual, em seus vários modais, envolvendo ainda fabricantes de toda a cadeia produtiva do sul do país.

Dentre os temas abordados, ficou evidente a solidariedade entre as várias entidades na superação das dificuldades decorrentes do momento que o país atravessa.

A pandemia de Covid-19, como lembraram os três participantes, serviu não só para estreitar laços, mas principalmente para permitir medidas vitais para a sobrevivência do transporte regular no sul do país.

Como lembrou Lauro Hagelmann, do DAER, o transporte está alicerçado em três pilares: o poder público, as empresas transportadoras e as rodoviárias, que no estado do RS são parte integrante do sistema desde 1939.

Outro ponto debatido foi a ação deletéria, segundo eles, do transporte rodoviário por aplicativos, que só voltou a anunciar viagens na região após a situação de pandemia ter diminuído um pouco as restrições de circulação.

Lauro Hagelman afirmou que é fundamental a regulação no setor, sem a qual não se pode garantir a segurança do passageiro, ainda mais em momento de pandemia, nem a universalidade do atendimento. Sem regulação, os municípios mais distantes, os mercados menos lucrativos, ficarão sem atendimento. E esse é o papel do poder concedente, garantir a capilaridade do transporte e o equilíbrio financeiro da operação. E mais ainda, impedir a concorrência predatória.

Pedro Teixeira, que além de presidente da FETERGS é conselheiro da ABRATI, lembrou todos os investimentos que as empresas de transporte têm feito para garantir a segurança sanitária das viagens. Ele citou a pesquisa capitaneada pela Marcopolo junto à Universidade de Caxias do Sul que demonstrou a segurança do transporte rodoviário. Destaque especial para o sistema de ar-condicionado, em que as pesquisas mostraram a segurança e eficiência do sistema no combate à disseminação do vírus. Relembre: Estudo feito pela Marcopolo mostra que renovação de ar em ônibus é maior que em mercados e aeroportos

A Live pode ser assistida na íntegra no Canal do Youtube do Diário do Transporte, no link: https://youtu.be/2GvtK5T5css

Alexandre Pelegi, jornalista especializado em transportes

Compartilhe a reportagem nas redes sociais:

Deixe uma resposta