Ceará volta a permitir ocupação total em ônibus e vans de fretamento somente em Fortaleza

Publicado em: 1 de agosto de 2020

Decreto traz medidas para fretamento e linhas regulares.

Decreto publicado neste sábado, 01, prorroga isolamento social até 09 de agosto. Há regras também para o transporte urbano e metropolitano

ADAMO BAZANI

O governador do Ceará, Camilo Sobreira de Santana, publicou neste sábado, 01º de agosto de 2020, decreto prorrogando até o dia 09 de agosto o isolamento social no estado, mas com algumas mudanças.

No setor de transportes, para o município de Fortaleza, o decreto 33.700 permite a volta da ocupação total de ônibus e vans de fretamento e turismo, desde que adotados protocolos de higiene e uso de máscara pelos ocupantes dos veículos.

II – a operação dos ônibus/veículos de fretamento e turismos com a capacidade total, observados os protocolos gerais e setoriais de medidas sanitárias previstas para a atividade;

A medida pode entrar em vigor a partir de segunda-feira, 03 de agosto.

Nas demais cidades, ainda deve ser respeitada a ocupação de apenas 50% da capacidade do veículo, sejam ônibus e vans, ou até mesmo embarcações.

No caso dos transportes turísticos coletivos, incluindo transportes aquáticos, limitar a ocupação dos veículos em 50% (cinquenta por cento), adotando o espaçamento de um lugar vazio entre os passageiros (alternado) e em zigue -zague, respeitando o distanciamento mínimo recomendado;

A temperatura dos passageiros deve ser aferida antes do embarque no caso dos ônibus de turismo e se o resultado ultrapassar a 37,5ºC,  o embarque deve ser impedido.

Aferir temperatura, com a utilização de termômetro digital infravermelho à distância, de todos os motoristas e guias turísticos antes de iniciar o turno de trabalho e de todos os passageiros antes de embarcarem nos transportes. Caso os indivíduos estejam com temperatura acima de 37,5°C, não poderão embarcar nos transportes turísticos e estes deverão ser orientados a procurar uma Unidade de Saúde;

As autoridades de saúde de cada cidade devem providenciar a higienização dos pontos de ônibus e estações.

As janelas dos ônibus devem estar sempre abertas, e nos modelos com refrigeração, deve o modo de recirculação de ar deve estar ativado.

Os ônibus privados não poderão transportar ninguém em pé e as linhas do transporte urbano e metropolitano devem ter veículos com barreiras físicas de gotículas para proteger motoristas e cobradores.

5.1. Estabelecer um procedimento de desinfecção para veículos no mínimo, três vezes ao dia: uma a noite, outra após o “pico” da manhã e outra antes do “pico” da tarde. 5.2. Articular com as autoridades responsáveis o mesmo procedimento de desinfecção dos veículos para as áreas comuns das estações e pontos de ônibus. 5.3. Manter os ambientes ventilados, evitando circular com janelas fechadas, sempre que possível. Quando for necessária a utilização do sistema de ar condicionado, deve-se evitar a recirculação do ar, desinfetar regularmente os assentos e demais superfícies do interior do veículo que são mais frequentemente tocadas pelos trabalhadores (solução com hipoclorito de sódio 2%, preparados alcoólicos e /ou outros sanitizante. 5.4. No caso de transporte coletivo privado, limitar a ocupação dos veículos, sem exceder à capacidade de passageiros sentados. 5.5. Adotar barreiras de proteção para separar motoristas, cobradores e vendedores de passagens. Protocolo Setorial 11 –

Os ônibus devem ser desinfectados com álcool a 70ºC ou outros sanitizantes constantemente.

Aferir temperatura, com a utilização de termômetro digital infravermelho à distância, de todos os motoristas e guias turísticos antes de iniciar o turno de trabalho e de todos os passageiros antes de embarcarem nos transportes. Caso os indivíduos estejam com temperatura acima de 37,5°C, não poderão embarcar nos transportes turísticos e estes deverão ser orientados a procurar uma Unidade de Saúde; 5.4.Manter o ambiente do veículo sempre arejado por ventilação natural. Caso seja necessária a utilização de sistema climatizado (ar condicionado), aumentar a frequência de manutenção (filtros) destes e usar o aparelho sempre no modo de circulação de ar externo; 5.5.Estabelecer procedimento de desinfecção dos veículos sempre antes de iniciar os serviços de turismo, após o transporte dos passageiros e ao final do turno de trabalho; 5.6.Desinfetar regularmente os assentos, corrimãos, barras de apoio, catracas, leitores de bilhetes e demais superfícies do interior dos veículos que são frequentemente tocados pelos motoristas, guias e passageiros, com solução de hipoclorito de sódio a 2%, preparados alcoólicos a 70% e/ou outros sani tizantes. Reforçar a higienização de botões do sistema de som, microfones, equipamentos de trabalho, dentre outros; 5.7.A empresa deverá realizar, com periodicidade adequada e maior frequ ência, a desinfecção completa no interior dos veículos com a utilização do sistema de gás ozônio (O3);

Adamo Bazani, jornalista especializado em transportes

Compartilhe a reportagem nas redes sociais:

Deixe uma resposta