VWCO exporta 130 ônibus para Angola, com barreiras de proteção Marcopolo BioSafe

Publicado em: 29 de julho de 2020

Veículos possuem carroceria Marcopolo Torino. Foto: Divulgação.

Venda totaliza 698 unidades com chassi Volksbus vendidas para o país desde 2017

JESSICA MARQUES

A Volkswagen Caminhões e Ônibus exportou 130 ônibus para Angola, na África. Os veículos possuem chassi Volksbus 17.210 e carroceria Marcopolo Torino. Todos vêm com barreiras de proteção para motorista e cobrador, as chamadas “Marcopolo BioSafe”.

De acordo com a fabricante, a solução flexível e modular pode ser instalada em diferentes carrocerias. O objetivo é reduzir a possibilidade de contágio por coronavírus, ao diminuir a exposição dos profissionais a possíveis gotículas expelidas durante a fala, tosse ou espirro.

Os ônibus urbanos possuem carroceria de 10,6 metros e 29 lugares. As unidades exportadas integram o TURP (Projeto de Transporte Urbano Regular de Passageiros) e a entrega foi feita apesar do contexto da pandemia de Covid-19.

As informações foram divulgadas ao Diário do Transporte pelo supervisor de Vendas para as regiões América Central e África da VW Caminhões e Ônibus, Matheus Francesco.

“A exportação totaliza um lote, até o momento, de 698 unidades já exportadas para Angola e fazem parte de um projeto de modernização do transporte do país”, afirmou. Todos os veículos, que vêm sendo comercializados desde 2017, possuem carroceria Marcopolo.

De acordo com Francesco, os veículos possuem motorização Euro 2, que ainda é a utilizada no país. Além disso, o modelo exportado, segundo o executivo, é um dos mais vendidos na África.

“É um ônibus de fácil mecânica e manutenção. Um produto de fácil atendimento, robusto. Tem se provado muito forte nesse quesito”, afirmou também.

COBRADOR mn

Ônibus vêm com barreira de proteção ‘Marcopolo BioSafe’

TURP

Ainda de acordo com o executivo, o TURP é um projeto que começou em 2017, gerenciado pelo Grupo Asperbras, representante oficial da VWCO em Angola há mais de dez anos.

“É um projeto importante que começou com foco inicialmente em 100% no transporte escolar. Ao longo do tempo, também foi transformado em ônibus urbano”, explicou.

Os veículos foram comprados pelo Governo da Angola, por meio do Ministério dos Transportes. A negociação foi feita por intermédio do Grupo Asperbras.

“O grupo levou nossa marca para Angola há mais de dez anos, foram desbravadores. A Angola há alguns anos não era como é hoje. Passava por guerrilhas internas, guerra civil. Eles que buscaram a oportunidade enxergando a demanda do país na época pelo transporte único exclusivamente escolar. Depois teve mudança de foco para incluir transporte urbano”, detalhou Francesco.

TRANSPORTE NA ANGOLA

De acordo com a VWCO, a frota exportada já está em operação. Os ônibus novos foram distribuídos entre 18 províncias de Angola, tais como a capital Luanda, onde está o maior número de chassis da marca.

“Angola tem uma rede de transportes urbanos ainda muito aquém das suas necessidades. Em Luanda, por exemplo, há 8 milhões de habitantes para pouco mais de 500 ônibus, cobrindo apenas 15% da província. Por isso, mesmo em tempos de pandemia, as negociações continuaram”, afirmou Geraldo Kulaif, diretor do Grupo Asperbras, em nota.

Ainda segundo a fabricante, 87% dos ônibus enviados ao país atende à demanda do transporte público de passageiros. Nesta categoria, estão incluídos benefícios e gratuidades, como para estudantes, jovens, idosos, pessoas com mobilidade reduzida e veteranos da pátria.

Outros 8% dos veículos destinam-se a demandas específicas de transporte de passageiros ligados a ministérios, hospitais e projetos sociais. Os 5% restantes dedicam-se ao transporte de passageiros para instituições de ensino superior.

Jessica Marques para o Diário do Transporte

 

Compartilhe a reportagem nas redes sociais:

Comentários

  1. Marcos chaves de castro disse:

    Otima escolha

Deixe uma resposta