Centro de Teresina permanece interditado mesmo após reabertura de estabelecimentos

Publicado em: 27 de julho de 2020

Região central está interditada desde 13 de julho. Foto: Divulgação.

A partir desta segunda-feira, 27, alguns comércios poderão reabrir

JESSICA MARQUES

Nesta semana, as ruas do centro de Teresina, no Piauí, seguem interditadas. O bloqueio ocorre mesmo com a autorização de funcionamento de alguns estabelecimentos comerciais, a partir desta segunda-feira, 27 de julho de 2020.

A informação foi divulgada pela Strans (Superintendência Municipal de Transportes e Trânsito). A interdição teve início em 13 de julho. De acordo com a Prefeitura, o bloqueio continua sendo fiscalizado de segunda-feira a sábado, das 6h às 18h.

O trecho do bloqueio engloba o perímetro das ruas Desembargador Freitas, Paissandu, David Caldas e Avenida Maranhão. Estão com permissão de circular os veículos previstos no Decreto 19.908 que especifica ações para conter aglomeração e contaminação pela Covid-19.

Quanto ao serviço de carga e descarga permanecerá com as mesmas condições de antes da interdição, sendo proibido somente o acesso de veículo acima de 5 toneladas. Esses veículos só podem realizar carga e descarga entre 18h e 6h.

ESTABELECIMENTOS COMERCIAIS

Em nota, o gerente de operações de Trânsito da Strans, Denis Lima, explica que a operação terá continuidade da mesma forma de antes quando não havia permissão de funcionamento de estabelecimentos comerciais.

“Os agentes estarão a postos para garantir que circularão somente os veículos permitidos pelo Decreto Municipal e como já estamos realizando há duas semanas. Quanto aos demais veículos poderão optar pelas vias paralelas ou próximas aos locais interditados”, explicou.

Também em nota, Lima ressalta que o resultado da interdição tem sido satisfatório com redução de 90% no tráfego de veículo na área central da cidade.

A primeira etapa da fase 2 inicia nesta segunda, 27, quando estarão autorizados a funcionar o comércio atacadista e varejista de itens não essenciais, como eletrodomésticos. Além disso, funcionam também pet shop, agências de viagens, serviços administrativos, de edifícios, missas, serviços religiosos.

Jessica Marques para o Diário do Transporte

Compartilhe a reportagem nas redes sociais:

Comentários

Deixe uma resposta