Marcopolo diz ampliar participação no mercado equatoriano de ônibus com venda de DDs

Publicado em: 21 de julho de 2020

Ônibus têm chassi Scania

Duas unidades foram entregues recentemente para a Cooperativa Loja

ADAMO BAZANI

A fabricante brasileira de carrocerias Marcopolo anunciou nesta terça-feira, 21 de julho de 2020, que está ampliado a participação no Equador.

Recentemente, a empresa concluiu dois ônibus de dois andares de alto padrão para a Cooperativa de Transportes Loja que, segundo a encarroçadora, é um dos maiores operadores de transporte rodoviário de passageiros daquele país.

Os veículos são do modelo Paradiso New G7 1800 DD de 15 metros de comprimento, com  chassi Scania K460 B 8×2. A configuração de cada é para 26 passageiros em poltronas Leito Cama (reclinação 180°), com monitores individuais de 9 polegadas e ar-condicionado Valeo CC430 P3 com calefação.

Os ônibus ainda apresentam sistema de streaming, três câmeras de monitoramento, sanitário no piso inferior, geladeira e cafeteira nos dois pisos, e camarote para o motorista auxiliar na parte dianteira do lado esquerdo.

A cooperativa tem 146 ônibus, a maior parte feita pela Marcopolo.

Segundo nota da encarroçadora,  a Loja foi criada em 1961, com a missão de oferecer um transporte de passageiros eficiente. Desde 2012, a operadora deu início a um programa contínuo de renovação de sua frota com a aquisição dos primeiros veículos da marca brasileira, pelos diferenciais competitivos que oferece aos seus clientes e passageiros. Os modelos Marcopolo são Viaggio 1050, Paradiso 1200 e os recém-adquiridos Paradiso 1800 DD.

Na nota, gerente executivo de Negócios Internacionais da Marcopolo, José Luís Moraes Goes, diz que, mesmo com a queda no número de passageiros em razão da pandemia da Covid-19, as operadoras do Equador têm realizado investimentos.

“Alguns operadores no Equador, apesar dos problemas decorrentes da pandemia do COVID-19, decidiram investir em novas unidades, garantindo aos seus passageiros uma viagem segura e confortável” – disse

Adamo Bazani, jornalista especializado em transportes

Compartilhe a reportagem nas redes sociais:

Deixe uma resposta