Frota de ônibus em Guarulhos é de 69% e demanda de passageiros é de 54%, diz gestão Gutti

Lotação maior tem ocorrido nos horários de pico, mesmo com flexibilização de entrada e saída de trabalhadores

Mesmo assim, passageiros reclamam de lotação em algumas linhas

ADAMO BAZANI

A prefeitura de Guarulhos, na Grande São Paulo, informou no início da tarde desta segunda-feira, 13 de julho de 2020, que a frota de ônibus municipais em circulação está em 69% de antes do habitual da pandemia da Covid-19.

Segundo nota da gestão do prefeito Gustavo Henrique Costa (Guti), o percentual significa 591 ônibus dos 858 das empresas e cooperativa que operam as ligações na cidade.

Já a quantidade de passageiros está em 54% do habitual de antes da pandemia, ou seja, 241 mil usuários por dia enquanto o “normal” na cidade era de 448 mil passageiros por dia.

Apesar de o percentual menor de passageiros em relação à frota, quem usa ônibus em Guarulhos reclama de lotação em algumas linhas.

Na nota, a diretora de Transportes de Guarulhos, Martha Bitner, diz que a causa da concentração de passageiros em algumas linhas específicas é o chamado horário de pico, que acontece entre 7h e 10h, e, no final do dia, entre 17 e 20h, mesmo com o escalonamento de horários determinado pelo prefeito Guti na flexibilização que se implantou na cidade. “Isso é algo que existe em todas as metrópoles do mundo. O horário de pico sempre foi e continuará sendo o gargalo para o transporte público de qualquer grande cidade”

A cidade foi incluída na fase Amarela do Plano de Flexibilização do governador João Doria, mas o prefeito Guti, por conta própria, abriu antes mais atividades que as previstas no planejamento de Doria.

Os dados de percentuais de frota e passageiros foram obtidos por meio da comparação entre os meses de abril e junho de 2019 (sem pandemia) e de 2020 (já com o isolamento social provocado pelo coronavírus).

Na nota, a gestão ainda detalha a evolução da quantidade de passageiros e de ônibus:

Em abril de 2019 foram transportados 481.111 passageiros em abril, contra 171.960 mil em 2020, ou seja, apenas 36% do total transportado um ano antes. Os números se repetiram em maio, com 445.810 em 2019 e 174.712 neste ano (39%). Por sua vez, junho de 2019 registrou um total de 413.089 passageiros, contra 200.752 neste ano (49%).

A evolução da frota apresentou os seguintes números: em 2019, em ano normal, rodavam os 858 ônibus (100% do total). Com a pandemia, esse número caiu para 360 em abril deste ano (42%), subiu para 532 em maio (62%), 560 em junho (65%) e chegou a 591 em julho (69%).

IDAS E VINDAS NA JUSTIÇA:

Como mostrou o Diário do Transporte, no início do mês, o Tribunal de Justiça de São Paulo determinou que 100% da frota estejam em circulação, mas a prefeitura conseguiu derrubar a liminar.

Adamo Bazani, jornalista especializado em transportes

Compartilhe a reportagem nas redes sociais:
Comentários

Deixe uma resposta