Transporte Terrestre esboça reação em maio, mas ainda acumula queda de 12,7% no ano, diz IBGE

Publicado em: 10 de julho de 2020

Movimentos como este, do ano passado, não são vistos nas rodoviárias no Brasil nos últimos meses devido à pandemia

Em maio, crescimento foi de 6,6% em relação a abril

ADAMO BAZANI

O setor de transporte terrestre, o que inclui cargas por caminhões e trens, e de passageiros por ônibus e sistemas metroferroviários, reagiu à crise provocada pela Covid-19 em maio deste ano, mas ainda acumula queda expressiva nos cinco primeiros meses do ano.

O dado foi divulgado nesta sexta-feira, 10 de julho de 2020, pelo IBGE – Instituto Brasileiro de Geografia e Estatística, em seu novo boletim da Pesquisa Mensal de Serviços.

Segundo o levantamento oficial, como um todo, o setor de serviços teve um recuo de 0,9% em maio na comparação com abril. No acumulado do ano, a queda é de 7,6%.

O segmento de transporte terrestre registrou em maio crescimento de 6,6% diante de abril, mas, no ano, acumula perda de 12,7%.

Vale ressaltar, entretanto, que a maior contribuição para o esboço de reação se deve ainda ao transporte de cargas, já que os segmentos de passageiros ainda registram perdas maiores.

O setor de transportes aéreos regista número piores: queda de 30,4%, muito embora, de abril para maio, houve um crescimento de 9,2%.

Pesquisa Mensal de Serviços
Indicadores do Volume de Serviços, segundo as atividades de divulgação
Maio 2020 – Variação (%)
Atividades de Divulgação Mês/Mês anterior (1) Mensal (2) Acumulado no ano (3) Últimos 12 meses (4)
MAR ABR MAI MAR ABR MAI JAN-MAR JAN-ABR JAN-MAI Até MAR Até ABR Até MAI
Volume de Serviços – Brasil -6,9 -11,9 -0,9 -2,8 -17,3 -19,5 -0,2 -4,5 -7,6 0,7 -0,6 -2,7
1. Serviços prestados às famílias -31,6 -45,1 14,9 -33,5 -65,3 -61,5 -10,2 -23,6 -31,0 -1,0 -6,6 -12,0
1.1 Serviços de alojamento e alimentação -33,8 -45,2 4,1 -35,9 -68,1 -63,9 -10,7 -24,5 -32,1 -1,1 -6,7 -12,2
1.2 Outros serviços prestados às famílias -19,8 -33,0 1,3 -19,9 -50,6 -49,1 -7,5 -18,6 -24,8 -0,4 -5,7 -10,7
2. Serviços de informação e comunicação -1,5 -2,8 -2,5 -0,2 -4,7 -9,0 0,5 -0,8 -2,5 2,5 2,0 0,8
2.1 Serviços de tecnologia da informação e comunicação (TIC) -0,2 -1,0 -1,7 0,8 -0,7 -5,1 0,9 0,5 -0,6 2,8 2,5 1,5
2.1.1 Telecomunicações -2,3 0,0 -1,0 -4,0 -3,9 -5,2 -3,4 -3,5 -3,9 -1,8 -2,0 -2,3
2.1.2 Serviços de tecnologia da informação 2,0 -2,3 -2,6 9,8 5,7 -4,7 9,4 8,5 5,7 11,9 11,3 9,1
2.2 Serviços audiovisuais -9,1 -22,7 -4,1 -7,9 -32,6 -36,5 -2,6 -10,3 -15,9 1,0 -1,3 -4,2
3. Serviços profissionais, administrativos e complementares -4,3 -10,4 -3,6 -3,7 -17,5 -21,7 -2,4 -6,3 -9,6 0,2 -1,2 -3,1
3.1 Serviços técnico-profissionais 1,3 -4,8 -5,9 3,2 -12,3 -15,4 -0,9 -4,0 -6,4 2,9 1,6 0,5
3.2 Serviços administrativos e complementares -7,4 -10,6 -1,8 -6,0 -19,4 -23,8 -2,9 -7,1 -10,7 -0,7 -2,1 -4,4
4. Transportes, serviços auxiliares aos transportes e correio -8,8 -17,8 4,6 0,4 -21,2 -20,8 1,0 -4,6 -8,0 -1,9 -3,2 -5,3
4.1 Transporte terrestre -10,5 -20,5 6,6 -5,7 -28,4 -24,4 -3,3 -9,6 -12,7 -3,4 -5,4 -8,1
4.2 Transporte aquaviário -0,5 -0,1 -1,7 24,1 16,3 10,6 15,6 15,8 14,7 5,7 7,2 7,8
4.3 Transporte aéreo -27,1 -73,1 9,2 -11,6 -77,1 -76,1 1,6 -16,6 -30,4 -5,4 -9,1 -15,5
4.4 Armazenagem, serviços auxiliares aos transportes e correio -1,0 -6,0 1,9 8,3 -4,4 -5,4 4,6 2,3 0,7 -0,2 -0,1 -0,8
5. Outros serviços -1,9 -6,4 -4,6 14,0 0,8 -7,3 11,0 8,4 5,2 7,8 7,8 6,4
Fonte: IBGE, Diretoria de Pesquisas, Coordenação de Indústria
(1) Base: mês imediatamente anterior – com ajuste sazonal  (2) Base: igual mês do ano anterior
(3) Base: igual período do ano anterior  (4) Base: 12 meses anteriores

Adamo Bazani, jornalista especializado em transportes

Compartilhe a reportagem nas redes sociais:

Deixe uma resposta