Governo de Goiás deposita em juízo, R$ 9,15 milhões às empresas de ônibus para socorrer transporte

Ônibus na região Metropolitana de Goiânia.

Medida ocorre depois de decisão judicial que ainda determina que viações não podem interromper serviços

ADAMO BAZANI

A juíza Mariuccia Benicio Soares Miguel, da 6ª Vara da Fazenda Pública Estadual em Goiânia, determinou que o Governo do Estado de Goiás deposite em juízo R$ 9,15 milhões para socorrer as concessionárias do sistema de ônibus na capital e região metropolitana e, assim, manter os serviços.

A decisão foi cumprida pela gestão Ronaldo Caiado nesta terça-feira, 07 de julho de 2020, após a Justiça homologar de forma parcial o Plano Emergencial de Manutenção dos Transportes.

Do valor, R$ 5 milhões devem ser em forma de repasse às empresas de ônibus como antecipação de crédito do passe-livre estudantil. O repasse será compensado posteriormente.

Já, R$ 4,15 milhões se referem a 17,65% do total de compensação que as empresas de ônibus devem receber.

Em contrapartida, a Rápido Araguaia, Cootego, Metrobus e HP Transportes Coletivos estão proibidas de paralisar os serviços.

Em dez dias, de acordo com a decisão, a CDTC – Câmara Deliberativa de Transportes Coletivos e a CMTC – Companhia Metropolitana de Transportes Coletivos devem apresentar um estudo com o plano de liberação destes recursos.

O Governo do Estado foi obrigado também a realizar uma auditoria contábil-econômico-financeira nas empresas concessionárias, incluindo o sistema de bilhetagem eletrônica, para verificar a variação dos custos dos serviços.

Adamo Bazani, jornalista especializado em transportes

Compartilhe a reportagem nas redes sociais:
Comentários

Deixe uma resposta