Ônibus de Curitiba podem circular somente com passageiros sentados

Publicado em: 2 de julho de 2020

95% da frota de ônibus já está circulando. Curitiba, 14/06/2019. Foto: Pedro Ribas/SMCS

Medida entrou em vigor nesta quinta, 02, e faz parte de uma série de regras mais rigorosas para combater o novo coronavírus

WILLIAN MOREIRA

Os ônibus de Curitiba, no Paraná, agora podem circular somente com passageiros sentados. A medida entrou em vigor nesta quinta-feira, 02 de julho de 2020, com validade de 14 dias.

A medida foi determinada pela Urbs (Urbanização de Curitiba), em atendimento ao Decreto Municipal nº 870 e ao Decreto Estadual nº 4.942.  Ambos trazem novas regras e ações de combate e enfrentamento ao novo coronavírus.

Desta forma, os ônibus vão circular somente com a capacidade máxima de passageiros sentados, proibindo assim a viagem de pessoas em pé.

Por essa razão, de acordo com o presidente da Urbs, Ogeny Pedro Maia Neto em nota divulgada para a imprensa, o transporte vai manter sua programação atual das linhas, colocando reforços em itinerários que precisarem. Outra medida tomada será deixar veículos de reserva para entrarem em operação, se houver necessidade.

ÔNIBUS PARA PESSOAS QUE TRABALHAM

Além de os ônibus operarem apenas com pessoas sentadas, o transporte, em meio à pandemia, é exclusivo para pessoas que trabalham ou vão utilizar algum serviço definido com essencial. Os funcionários da área da saúde devem apresentar um documento que comprove a atuação no setor.

Os decretos determinaram ainda o fechamento de alguns setores do comércio, como shopping centers, comércio de rua, galerias, salões de beleza e bares.

EXPRESSO SAÚDE

A Urbs também manterá em funcionamento a “Linha Expresso Exclusivo Saúde” em operação desde o dia 29 de junho, mas alterando os horários de embarque no final do dia na Praça Rui Barbosa. A linha sai da praça agora às 18h20 e 19h20. No Terminal Pinheirinho os horários de 6h e 7h estão mantidos.

Está prevista a aplicação de multa para as empresas de ônibus que descumprirem a determinação, no valor de R$ 50 por infração.

Willian Moreira em colaboração especial para o Diário do Transporte

Compartilhe a reportagem nas redes sociais:

Deixe uma resposta