SPTrans abre consulta pública para licitação de instalação e reforma de pontos e abrigos de ônibus

Publicado em: 26 de junho de 2020

Modelo SP450 – FEA – Faculdade de Engenharia e Arquitetura da USP -Universidade de São Paulo

Concorrência envolve 4,8 mil abrigos e 500 totens de modelo criado na gestão Marta Suplicy

ADAMO BAZANI

A SPTrans –São Paulo Transporte publicou aviso de consulta pública para a licitação dos serviços de instalação, manutenção e reforma de 4,8 mil abrigos e 500 totens de parada de ônibus na capital paulista.

No caso dos abrigos, trata-se do modelo SP450 que começaram a ser implantados na gestão da então prefeita Marta Suplicy (2001/2004) e são de estrutura metálica integral.

De acordo com publicação no Diário Oficial desta sexta-feira, 26 de junho de 2020, as minutas do edital serão publicadas no site da SPTrans e o prazo para envio de sugestões e críticas é curto, indo somente até 06 de julho.

A contratação será por menor preço oferecido e o pagamento por empreitada (serviço realizado)

Em nota, a SPTrans informou que os espaços não receberão propaganda como nos abrigos cuidados pela empresa Otima e que parte destas estruturas está na periferia

São mais de 4 mil endereços de pontos de parada em toda a cidade e alguns locais receberão mais de um módulo de abrigo. A maior parte dos equipamentos será instalada fora da área central da cidade, levando maior segurança e conforto aos passageiros dos bairros mais distantes, enquanto eles esperam o transporte.
A licitação é do tipo menor preço e o contrato será por um período de 36 meses pelo serviço de instalação e manutenção dos equipamentos. A previsão é de que a sessão pública de abertura das propostas seja realizada no início de agosto. Não haverá exploração comercial de propaganda nestes equipamentos.

A contratação irá contemplar os serviços em locais que não estão previstos no atual contrato de manutenção de pontos e abrigos. Sendo assim, não há sobreposição entre os pontos de parada contemplados na atual licitação e os de responsabilidade da SPObras.

A consulta pública e concorrência ocorrem mesmo com o contrato com a Otima, assinado em 2012 e com validade de 25 anos. A empresa, majoritariamente controlada pelo grupo Ruas Invest, da mesma família que opera parcela significativa das linhas de ônibus municipais da capital paulista.

O contrato original da Otima prevê a troca ou reforma de 6,5 mil abrigos e 12,5 mil totens, com a ampliação para 14,5 mil totens

Adamo Bazani, jornalista especializado em transportes

Compartilhe a reportagem nas redes sociais:

Comentários

  1. JOSE LUIZ VILLAR COEDO disse:

    Por que nao mandam a OTIMA trocar / reformar ou ampliar esses ABRIGOS E TOTENS ?! Não entendo… ou é so questão contratual…?!

Deixe uma resposta