Por causa de manifestação, novamente linhas da Metra são paralisadas e ônibus da MobiBrasil, recolhidos

Ônibus da Metra teve de ser escoltado

Ato começou pacífico nesta terça-feira, mas depois houve confronto

ADAMO BAZANI

Mais uma vez, manifestações contra a morte de um jovem de 15 anos estão interferindo nos serviços de transportes.

De acordo com a a EMTU – Empresa Metropolitana de Transportes Urbanos, a linha 376 (Diadema/Brooklin) está temporariamente paralisada por causa da manifestação realizada na Av. Cupecê.

As linhas 288, 289 e 290 estão paralisadas temporariamente devido a uma manifestação em ambos os sentidos da Av. Engenheiro Armando de Arruda Pereira, próximo à parada Bom Clima.

Linhas municipais foram também momentaneamente retidas. Os veículos da empresa municipal nos pontos iniciais estão sendo recolhidos e os que estão em meio do trajeto continuam a operar até o momento.

Os serviços municipais da MobiBrasil que tiveram todos os ônibus recolhidos a partir das 19h são:

577T, 6358, 509M, 6338, 5129-10/41, 5106-10/21/31, 5290, 574A, 576M,  5791, 5091, 5178, 607c, 516N

A exemplo do que ocorreu na segunda-feira, o protesto é realizado no horário de exibição de programas policiais da TV que usam helicópteros para transmissão ao vivo.

Moradores da região de Americanópolis, na zona Sul da Capital Paulista, voltaram a realizar nesta terça-feira, 16 de junho de 2020, manifestações contra a morte de um adolescente de 15 anos.

Até o início da tarde, a situação era pacífica, mas no início da noite, vândalos e policiais começaram a entrar em confronto.

Um ônibus de 15 metros da empresa Metra foi depredado pelos vândalos.

Nesta segunda-feira, quando ao menos seis coletivos, entre ônibus e trólebus, foram incendiados e quatro depredados.

Os moradores acusam policiais militares de terem assassinado o adolescente.

De acordo com imagens de redes de TV, grupos realizam arrastões e roubam motoristas de carros.

Adamo Bazani, jornalista especializado em transportes

Compartilhe a reportagem nas redes sociais:
Comentários

Comentários

Deixe uma resposta