CPTM prorroga prazo para implantação de CBTC nas linhas 8,10 e 11

Trem da linha 10. Sistema está há 11 anos parado

CBTC é um sistema que permite que os trens andem mais próximos uns dos outros com maior segurança, reduzindo os intervalos. Os equipamentos da linha foram comprados em 2009 e ainda não foram instalados

ADAMO BAZANI

A CPTM – Companhia Paulista de Trens Metropolitanos prorrogou a vigência dos contratos com a Siemens para a implantação de um sistema de sinalização e controle de trens mais moderno que o atual, o CBTC, sigla que em português significa Controle de Trens Baseado em Comunicação, que usa ondas de rádio quando um trem “se comunica com o outro” e com a central de controle.

A vigência agora passa para 52 meses.

Os aditamentos dos contratos foram publicados nesta quarta-feira, 03, e envolvem as linhas 8-Diamante (Júlio Prestes/Amador Bueno), 10 Turquesa (Rio Grande da Serra/Brás) e 11 Coral (Luz/Estudantes)

Os serviços ainda englobam também sistemas de radiocomunicação para todas as linhas da CPTM.

Os aditamentos ocorrem com as alterações nos consórcios compostos pelo grupo da Siemens.

Linha 8 Consórcio Diamante: Finalidade: Substituição da empresa SIEMENS LTDA. para a empresa SIEMENS MOBILITY SOLUÇÕES DE MOBILIDADE LTDA., CNPJ nº 30.133.690/0001-18, com a consequente alteração na composição do Consórcio: SIEMENS MOBILITY SOLUÇÕES DE MOBILIDADE LTDA.: parcela consorcial equivalente a 55,53% do escopo total e líder do Consórcio; SIEMENS RAIL AUTOMATION S.A.: parcela consorcial equivalente a 44,47% do escopo total do Consórcio

Linhas 10 e 11 – Consórcio Turquesa: Finalidade: Prorrogação do prazo contratual, com a readequação do cronograma físico-financeiro; e substituição da empresa SIEMENS LTDA. para a empresa SIEMENS MOBILITY SOLUÇÕES DE MOBILIDADE LTDA., CNPJ nº 30.133.690/0001-18, com a consequente alteração na composição do Consórcio: SIEMENS MOBILITY SOLUÇÕES DE MOBILIDADE LTDA.: parcela consorcial equivalente a 43,27% do escopo total e líder do Consórcio; SIEMENS RAIL AUTOMATION S.A.: parcela consorcial equivalente a 56,73% do escopo total do Consórcio – Prazo de vigência: 52 meses

O Diário do Transporte mostrou que a promessa para modernizar o controle das linhas da CPTM é antiga.

No caso da linha 10-Turquesa, houve até um fato controverso, com os equipamentos tendo sido comprados há 11 anos e nunca instalados.

O sistema foi comprado em 2009 por 176 milhões de euros, mas nunca foi instalado. Parte dos equipamentos chegou a ficar ao relento.

A CPTM garantiu que apesar de os mais de dez anos parados, os materiais estão atuais e podem funcionar sem problemas.

Adamo Bazani, jornalista especializado em transportes

Compartilhe a reportagem nas redes sociais:
Comentários

Comentários

  1. Tiago disse:

    nãããããããããããããooooooooooo

  2. ANDRE FERNANDES disse:

    e ainda fala em trens intercidades e nao conseguem implantar nem o cbtc nas linhas prontas parei de sonhar em pegar trem pra santos faz tempo

Deixe uma resposta para Tiago Cancelar resposta