Transportes Metropolitanos devem voltar com 100% da frota com relaxamento de quarentena e trecho de monotrilho vai ser definido até sábado

Mais trabalhadores das áreas administrativas devem ser remanejados para o operacional de trens e estações

ADAMO BAZANI

O secretário dos Transportes Metropolitanos do Estado de São Paulo, Alexandre Baldy, disse na manhã desta sexta-feira, 29 de maio de 2020, que os serviços de trens da CPTM e Metrô devem trabalhar com 100% da frota para dar conta da demanda com segurança para o relaxamento da quarentena na cidade de São Paulo.

Em entrevista à TV Globo, o secretário afirmou que atualmente, com as medidas de restrição devido a Covid-19, a média de lotação é de 1,8 pessoa por metro quadrado nos horários de pico.

Em dias normais, linhas como a 3-Vermelha do metrô, a ocupação nos horários de pico fica em média entre 8 e 10 pessoas por metro quadrado

O escalonamento da entrada e saída dos funcionários das atividades permitidas é uma das sugestões para evitar superlotação nos horários de pico.

O prefeito Bruno Covas disse ontem que, apesar da autorização do Governo do Estado, não vai ser dia 1º a abertura das atividades na “faixa laranja” que na próxima semana vai receber dos setores contemplados os protocolos de segurança e higiene e só assim, abrir.

Serão colocados dois mil ônibus municipais a mais à disposição e os protocolos, segundo Covas, serão entregues à STM – Secretaria dos Transportes Metropolitanos para adequação das frotas dos ônibus da EMTU, Metrô e CPTM.

Baldy disse ainda que a pasta procura se organizar quanto a funcionários para o atendimento total, já que há pessoas afastadas em razão da pandemia, seja por contágio ou por pertencerem a grupo de risco. Mais trabalhadores da área administrativa devem ser remanejados para o operacional.

O secretário ainda infirmou quer até sábado vai determinar o trecho que o monotrilho da linha 15-Prata deve voltar a funcionar ma segunda-feira, 01º de junho

A linha parou de  funcionar desde 29 de fevereiro de 2020. Um jogo de pneus da composição M20 estourou no dia 27 de fevereiro de 2020, uma quinta-feira, na estação Jardim Planalto, zona Leste, às 6h40 aproximadamente.  A parte de uma peça interna da roda, chamada runflat, foi lançada na direção de uma loja na Avenida Sapopemba, como revelou o Diário do Transporte. Ninguém foi atingido pelo equipamento de grandes dimensões que caiu de 15 metros de altura. A estimativa foi de prejuízos diários de R$ 1 milhão, entre perda de receita e custo com os ônibus da operação PAESE.

Adamo Bazani, jornalista especializado em transportes

Compartilhe a reportagem nas redes sociais:
Assine

Receba notícias do site por e-mail

Comentários

Comentários

  1. Dagnaldo Pereira disse:

    Impossível, não tem funcionários suficientes Adami, procure informações com o sindicato.

  2. Rogerio Belda disse:

    De volta para o passado: O monotrilho não é transporte de alta capacidade, mas tem características turísticas importantes e sua implantação traria uma serie de efeitos urbano, turísticos e econômicos, mas não é assunto para amadores assim como autoridades que só pensam no tempo disponível em seu mandato. RBelda

Deixe uma resposta