Porto Alegre ganhas novas faixas exclusivas para ônibus

Novas faixas representam 58% do que levou 39 anos para ser feito na capital gaúcha

Nesta sexta-feira, 29 de maio, entram em operação cinco novos trechos nas avenidas Mauá, João Goulart, Loureiro da Silva, Ipiranga e Túnel da Conceição

ALEXANDRE PELEGI

A Prefeitura de Porto Alegre segue com o Programa de Priorização do Transporte Coletivo.

Nesta sexta-feira, 29 de maio de 2020, a capital gaúcha ganhará mais 8,9 quilômetros de faixas exclusivas para ônibus.

Entram em operação cinco novos trechos nas avenidas Mauá, João Goulart, Loureiro da Silva, Ipiranga e Túnel da Conceição.

As faixas funcionarão das 6h às 9h e das 16h às 20h, com exceção do Túnel da Conceição, das 6h às 20h.

O prefeito Nelson Marchezan Júnior afirmou que, de acordo com a experiência já obtida até agora, esta é uma solução importante para a priorização do transporte coletivo e “para dar mais segurança e agilidade aos passageiros que optam pelos ônibus”.

O Programa de Priorização do Transporte Coletivo vai ampliar em 22 quilômetros, de 16 trechos, o espaço com prioridade para os ônibus e táxis, um aumento de 130% em relação aos 17 quilômetros já existentes antes do início da implantação, em setembro do ano passado.

A Empresa Pública de Transporte e Circulação (EPTC) registra que de 1977 a 2016, foram entregues somente 15,5 quilômetros de faixas exclusivas na cidade.

Essas novas faixas representam 58% do que levou 39 anos para ser feito em Porto Alegre. É uma forma de dar prioridade ao transporte de forma rápida, com investimento menor e que ainda pode ser utilizada pelos demais veículos fora do horário de pico”, diz o secretário extraordinário de Mobilidade Urbana, Rodrigo Tortoriello.

Programa de Priorização do Transporte Coletivo

De acordo com a prefeitura de Porto Alegre, as medidas de priorização do transporte coletivo contribuem para a regularidade da operação e mais agilidade nas viagens, o que auxilia na diminuição no tempo do deslocamento dos usuários.

“Isso atrai novos passageiros, pois melhora a qualidade do serviço. Com viagens mais rápidas, sem congestionamento, também é possível economizar combustível”, informa a EPTC.

Alexandre Pelegi, jornalista especializado em transportes

Compartilhe a reportagem nas redes sociais:
Comentários

Deixe uma resposta