Rodoviários da Bahia decidem paralisação do transporte na segunda, 25 de maio

Foto: Felipe Pessoa de Albuquerque

Categoria entrou em estado de greve por não observar avanços em negociações com as empresas de ônibus

ALEXANDRE PELEGI

Os rodoviários da Bahia decretaram estado de greve nesta terça-feira, 19 de maio de 2020.

A decisão ocorreu em assembleia virtual, e a proposta de paralisação geral, por tempo indeterminado, se estende ao transporte do setor urbano, fretamento e turismo.

O Sindicato dos Rodoviários da Bahia informa que a decisão foi tomada por conta das negociações da campanha salarial 2020, que não apontou avanços até o momento.

A decisão sobre o início da greve, ainda sem data, será definida na próxima segunda, 25, em nova reunião dos trabalhadores.

Desta forma, Salvador pode ficar sem transporte já na terça-feira, 26.

Os Rodoviários afirmam que a maior solicitação no momento se dá em relação aos Equipamentos de Proteção Individual.

A categoria quer uma barreira de acrílico como proteção ao motorista e cobrador. Além disso, quer testes-rápidos para os trabalhadores do setor e aferição de temperatura nas garagens.

Os rodoviários se queixam também da falta de luvas para cobradores, dispositivos de álcool em gel e reposição de máscaras para a categoria, já que as distribuídas até agora estão velhas e desgastadas.

A Integra, que reúne as concessionárias do Transporte Público de Salvador, afirma que os rodoviários solicitam alguns benefícios que não serão possíveis de se negociar no momento. A Associação alega que as empresas estão com apenas 28% do faturamento em relação ao período pré-pandemia. A jornada de trabalho da categoria foi reduzida, de 210 horas mensais para 63.

Alexandre Pelegi, jornalista especializado em transportes

Compartilhe a reportagem nas redes sociais:
Comentários

Comentários

  1. 28652903 disse:

    Mim poupe com esse sindicato dos rodoviários em plena pandemia eles querendo aumento pra categoria as empresas sem fatura direito porq eles não abrem mão das mensalidades sindicais nesse momento crítico que o estado se encontra u monte de mercenários

  2. Xavier disse:

    Vdd, o momento n é para greve , e sim se unir juntos , contra essa pandemia .

  3. Paulo disse:

    Sou rodoviario, aceito que ñ se faça paralização devido à aumento de salário nesse momento crítico. Mais sim pela falta de respeito do prefeito em ñ considerar a categoria como serviço essencial,pela empresa não fornecer EPIs adequados,gerando a morte de 12 colaboradores, fora os que estam hospitalizados. Policiais,bombeiros, profissionais da saúde,são considerados como atividades essenciais, merecem proteção, testes rápidos e melhores condições de trabalho,acho corretíssimo. E Quem leva pessoas para seus destinos diversos,inclusive aos hospitais,pessoas potencialmente contaminadas pelo covid-19 sem possuir uma proteção adequada,sendo contaminado e levando o vírus para sua família,é justo? Somos trabalhadores,querendo ou não, estamos na linha de frente também. Merecemos ser respeitados e termos condições de exercer a atividade sem risco de vida. Por esse motivo,apoio a paralização.

  4. Dali disse:

    Plena pandemia, tanto desempregos e eles preocupados com aumento
    Concordo a parte que for de suas proteções , mascaras , luvas e etc

  5. Jorge Andrade disse:

    Acredito que no momento discutir aumento de salário será difícil, visto que a arrecadação diminuiu bastante, assim sendo aumentar o salário acredito eu que vai ser praticamente impossível.
    Agora, quanto aos EPI’s esses sim deve e tem que ser obrigatório e se possível paralisar mesmo, pra que seja dado aos funcionários das empresas, isso é caso de vida ou morte.
    Prioridade urgente urgentíssima.

  6. Nilson disse:

    Tem muita gente querendo trabalhar! Coloca esses Rodoviario tudo nao rua e contrata novos

  7. Josenildes disse:

    Boa noite eu acho engraçado que diminuio a quantidade de ônibus por causa da pandemia e os ônibus só saí lotados,eles querem é que o povo si lasque

Deixe uma resposta para 28652903 Cancelar resposta