Covid-19: Mortes de rodoviários leva Comissão de Transportes da ALERJ a exigir maior fiscalização da RioÔnibus

Publicado em: 19 de maio de 2020

Comissão do Trabalho e Seguridade Social da Assembleia realizou videoconferência para debater a exposição de trabalhadores de serviços essenciais à covid-19

Sindicato contabiliza 25 óbitos e mais de 120 profissionais do transporte público  infectados na capital carioca

ALEXANDRE PELEGI

Trabalhadores expostos ao coronavírus em transportes públicos, assim como aglomerações em supermercados, são algumas das preocupações dos deputados da Assembleia Legislativa do Rio de Janeiro (Alerj).

Duas Comissões da Casa de Leis têm realizado debates sobre o tema, preocupados com a saúde de trabalhadores que atuam em atividades essenciais no estado do Rio.

Em reunião aberta realizada por videoconferência pela Comissão do Trabalho e Seguridade Social da Alerj, foram debatidos tais temas, com destaque para o controle da disseminação do vírus nos supermercados.

Já a Comissão de Transportes da Assembleia quer saber do RioÔnibus, sindicato das empresas que atuam no transporte urbano da cidade do Rio de Janeiro, qual a quantidade de equipamentos de proteção individual foi distribuída aos funcionários do setor.

A iniciativa é uma reação à notícia de que 120 motoristas e cobradores de ônibus que trabalham nas 37 empresas que circulam na cidade teriam sido contaminados pelo coronavírus.

Além do número de máscaras adquiridas e distribuídas para os profissionais, a comissão pede esclarecimentos de quantas e quais empresas foram contratadas para realizar o serviço de higienização nos ônibus da capital.

O Sindicato dos Rodoviários aponta que 25 profissionais já perderam a vida por causa da Cobid-19.

Com as denúncias, a Comissão de Transportes quer maior empenho e fiscalização, com rigorosa fiscalização nas empresas e nos pontos finais.

Alexandre Pelegi, jornalista especializado em transportes

Compartilhe a reportagem nas redes sociais:

Deixe uma resposta