Ônibus em São Paulo transportaram 135 mil passageiros a mais com novo rodízio nesta terça-feira

Publicado em: 13 de maio de 2020

Número é metade do crescimento da demanda registrada na segunda-feira

ALEXANDRE PELEGI

O rodízio municipal de veículos mais severo, que entrou no segundo dia de validade nesta terça-feira, 12 de maio de 2020 na cidade de São Paulo, colocou nos ônibus das linhas municipais quase 135 mil registros de passagens a mais quando comparado ao que estava ocorrendo antes do início da medida restritiva.

A informação é da SPTrans, que informou em nota ao Diário do Transporte que a média diária do sistema municipal de ônibus é de 9 milhões de viagens. “Ou seja, uma média de 4,5 milhões de passageiros, considerando a ida e volta”, diz.

Nesta terça, 12, a gerenciadora informa que foram cerca de 1,57 milhão de passageiros, o que representa 35% da média em dias normais.

Na semana passada, foi registrada uma média diária de 1,44 milhão de passageiros.

Portanto, ontem houve um acréscimo de cerca de 135 mil usuários no sistema de transporte em relação ao que estava ocorrendo antes do início do rodízio”, explica, ou 270 mil registros computando ida e volta.

Vale ressaltar que no primeiro dia de rodízio, na segunda, como mostrou o Diário do Transporte, o aumento em relação à segunda-feira anterior chegou a 270 mil pessoas, o dobro portanto desta terça-feira (ou 540 mil registros de viagens, com ida e volta).

Ou seja, de segunda para terça houve uma queda de 50% no transporte por ônibus. Relembre: Rodízio Municipal mais severo: Quase 550 mil registros de passagens a mais nos ônibus de São Paulo e só 1% de aumento no isolamento

A frota atual se mantém em 8.394 veículos, o que representa 65% dos coletivos usados em dias normais antes da pandemia, finaliza a SPTrans.

De acordo com o sistema de monitoramento por celulares do Governo do Estado de São Paulo, na segunda-feira da semana passada, o isolamento social foi de 48%; nesta segunda-feira, 11, primeiro dia do rodízio, o índice subiu apenas 1%, indo para 49%. E ontem, terça-feira, esse percentual caiu para 48,4% na capital.

Alexandre Pelegi, jornalista especializado em transportes

Compartilhe a reportagem nas redes sociais:

Comentários

Deixe uma resposta