Expresso Pégaso entra com pedido de recuperação judicial com dívida de quase R$ 50 milhões

Publicado em: 12 de maio de 2020

Empresa também opera BRT

Também figura na ação, a Auto Viação Palmares Ltda

ADAMO BAZANI

A Expresso Pégaso, que já foi uma das maiores empresas de ônibus do Rio de Janeiro, entrou nesta segunda-feira, 11 de maio de 2020, com pedido de recuperação judicial para tentar escapar da falência. A ação foi distribuída nesta terça-feira, 12.

Figura também na ação da 3ª Vara Empresarial do TJRJ – Tribunal de Justiça do Rio de Janeiro a Auto Viação Palmares Ltda

O grupo, que possui mais de 500 funcionários e opera nas regiões de Santa Cruz,  Recreio, Campo Grande e Centro, acumula dívidas de quase R$ 50 milhões.

A Pégaso já apresentava dificuldades financeiras, que se agravaram com a crise ocasionada pelo avanço da pandemia da Covid-19.

A queda de demanda de passageiros foi de quase 70%.  Antes do avanço do novo coronavírus, a Pégaso tinha faturamento de R$ 115 mil por dia. Hoje, fica um pouco acima de R$ 35 mil. A quantidade de usuários que era de 37 mil por dia, hoje é menor que 14 mil.

As dificuldades da empresa se intensificaram em 2013, com a reformulação de linhas na região, o crescimento do transporte clandestino, a migração dos passageiros para o transporte individual e problemas de gestão.

A empresa foi fundada em 1966 e chegou a ter mais de 700 ônibus. Atualmente, são 196.

Adamo Bazani, jornalista especializado em transportes

Compartilhe a reportagem nas redes sociais:

Comentários

  1. Waldemar Araujo disse:

    Lembro de quando ela começou a operar em meados dos anos 60 com 5 onibus Tarifa A, fazendo a linha Castelo – Santa Cruz, via Campo Grande. Na mesma década ela também explorou o serviço de táxis. Eram Volks 4 portas na cor branca e uma faixa que era laranja (ou amarela, não lembro bem).

  2. Anônimo disse:

    E esta empresa tá com situação idêntica as empresas do Grupo BJS de Mauá-SP (estou desconfiado que a Pégaso e Palmares são duas das empresas do grupo do “Titio Baltazar”)

  3. Aloísio dos Santos Oliveira disse:

    Bom Dia, Senhor:

    Presidente Conselho Administrativo:

    Mauro Bellini.

    É possível usar fibra de Carbono nas carrocerias ?

    Ao invés de GRAFENO

    Gostaria de um dia conhece a fábrica da Marcopollo.
    Tenho muitas ideias p/melhor às carrocerias.

    Principalmente o G – 7
    e os urbanos.

    Sem mais: Aloisio

Deixe uma resposta