Decreto de Covas amplia para todas as atividades recomendação de início de funcionamento e troca de turnos em períodos fora de pico do transporte

Publicado em: 9 de maio de 2020

Documento se adequa à determinação estadual e prorroga atendimento presencial em comércio e serviços para 31 de maio 

ALEXANDRE PELEGI                    

Em decreto publicado no Diário Oficial deste sábado, 09 de maio de 2020, o prefeito de São Paulo, Bruno Covas, adequou o município de São Paulo à determinação estadual que prorrogou a quarentena para 31 de maio de 2020. Relembre: Quarentena é prorrogada até 31 de maio em São Paulo. Lockdown não está descartado

Esta foi a quarta prorrogação das medidas de restrição à abertura de atividades comerciais e de serviços.

A quarentena para conter o avanço descontrolado do novo coronavírus começou em 24 de março e deveria ir até 07 de abril, mas foi estendida até 22 de abril e, depois, até 10 de maio.

No Decreto publicado neste sábado, o prefeito Covas altera decreto anterior, publicado em 14 de abril deste ano, que recomendava o horário de funcionamento das atividades industriais, comerciais e de serviços durante o estado de calamidade pública.

No decreto citado, a recomendação do início de funcionamento ou realização da troca de turno nas atividades com mais de um turno de trabalho dos estabelecimentos industriais, comerciais e de serviços, público e privado, estabelecia horários diferenciados a depender das atividades.

Na nova redação, o documento especifica o horário das 6:00 às 11:00h como não recomendável para o início de funcionamento ou realização da troca de turno e altera a relação das atividades. Este período concentra maior afluência ao sistema de transporte público da Capital.

Veja o decreto e a relação de atividades:

decreto_covasdecreto_covas_02

No Decreto anterior, para determinadas atividades, como delivery, serviços de limpeza e construção civil, por exemplo, não havia recomendação de horário. Agora a sugestão vale para todos.

Alexandre Pelegi, jornalista especializado em transportes

Compartilhe a reportagem nas redes sociais:

Deixe uma resposta