Marcopolo fará testes com Grafeno para reduzir peso e aumentar resistência em ônibus

Publicado em: 4 de maio de 2020

Crédito da imagem: Julio Soares

Área de Engenharia da empresa realiza pesquisas para possível utilização e introdução em veículos de motorização 100% elétrica ou híbrida, devido ao elevado peso das baterias

ALEXANDRE PELEGI

A Marcopolo, uma das maiores fabricantes de carrocerias de ônibus do mundo estima iniciar testes, até o final de 2020, com a aplicação do grafeno em novos componentes de ônibus.

O grafeno, uma das formas cristalinas do carbono, é considerado tão ou mais revolucionário que o plástico e o silício, e sua grande vantagem será reduzir o peso total do veículo e ampliar e garantir a resistência estrutural.

A Marcopolo estuda a possibilidade de utilizar e introduzir o material em veículos de motorização 100% elétrica ou híbrida, o que ocorre na indústria automobilística mundial.

Luciano Resner, diretor de Engenharia da Marcopolo, afirma que o programa está em fase de estudos de engenharia, com planos de se concluir o desenvolvimento e iniciar testes até o final deste ano.

Firmamos, no ano passado, uma parceria com a UCS, Universidade de Caxias do Sul, para o desenvolvimento do material e produção local em escala industrial. Iniciamos os estudos de caracterização, uma das principais etapas, pois permitirá determinar qual a quantidade ideal de grafeno na composição do material que relaciona diretamente com a resistência mecânica desejada para cada subsistema do nosso produto. São testes de ensaios químicos, térmicos e mecânicos, além de testes acelerado de durabilidade em dispositivos que garantem a durabilidade e confiabilidade do produto, representando as condições de utilização de nossos clientes”, analisa Resner.

Resner explica que a fabricante vem realizando estudos e pesquisas com o grafeno, também associado ao aço e a diferentes polímeros que poderão resultar em grande ganho de peso. “Nossos trabalhos mostram que a liga com grafeno e aço proporciona redução de peso e melhoria das características mecânicas. Estamos desenvolvendo a sua aplicação na pintura, com a adição do grafeno em tintas para reduzir camadas, diminuindo custos e melhorando as características contra a corrosão”, destaca o executivo.

A Marcopolo está trabalhando também, entre os desenvolvimentos mais avançados, em peças poliméricas, avaliando a substituição de componentes metálicas por polímeros com a adição do grafeno. Isso inclui suportes, materiais de acabamento, como a estrutura do porta-pacotes e descansa-pernas, e em alguns componentes estruturais, como poltronas. “Deveremos iniciar testes no campo de provas ainda no segundo semestre deste ano, para apresentar novidades no mercado em 2021”, conclui Resner.

Em comunicado à imprensa especializada, a Marcopolo destaca que um dos grandes desafios da indústria automobilística mundial está na contínua redução de peso e elevação da resistência dos componentes e dos veículos como um todo. O outro é a redução no uso de combustíveis fósseis e nas emissões. “Com a crescente adoção da tecnologia de motorização elétrica e elevado peso das baterias, os fabricantes têm como meta desenvolver veículos mais leves e, ao mesmo tempo, robustos”, informa a fabricante.

O grafeno é o material mais leve e forte do mundo, sendo 200 vezes mais resistente do que o aço e superando até o diamante. Também é o material mais fino que existe, com espessura de um átomo, ou 1 milhão de vezes menor que um fio de cabelo. Maleável, resistente ao impacto e à flexão, é excelente condutor térmico e elétrico.

Isolado pela primeira vez em 2004, na Inglaterra, pelos cientistas Andre Geim e Konstantin Novoselov, em pesquisa que ganhou o Prêmio Nobel de Física em 2010, uma folha de grafeno de 1 metro quadrado pesa 0,0077 gramas e é capaz de suportar cargas de até quatro quilos.

Alexandre Pelegi, jornalista especializado em transportes

Compartilhe a reportagem nas redes sociais:

Comentários

  1. Paulo Gil disse:

    Amigos, bom dia.

    Parabéns Marcopolo, INOVAÇÕES são sempre bem vindas; ainda mais como essa.

    SAÚDE A TODOS !

    Att,

    Paulo Gil

  2. César Lima disse:

    Parabéns meu orgulho Sulista

  3. Adolfo disse:

    Kkk… Isso não é aquele coisa que o Bolsonaro ficava falando e que NUNCA deu certo em lugar nenhum?

  4. Aloísio dos Santos Oliveira disse:

    Sou motorista a 45 anos.
    A única coisa que tem que ser melhorada nos ônibus, é os retrovisores externos rodoviários.

    No urbano, nunca mais a Marcopollo fará um retrovisores tão bons quantos antigos Vialle.
    No urbano tem muita coisa a ser feitas.
    Na feira do ônibus em 2016 no Rio Centro os engenheiros da Marcopollo não me serão atenção.

    Caso em 2020 tenha a feira.
    Espero que seja diferente.
    Não peço uma feira.

    Aliás pq às fabricantes de carrocerias, não pedem opiniões aos grandes profissionais como eu e outros.

    Até pq quem projeta, fábrica e constroi não dirige dia a dia no trânsito.

    Sou motorista de BRTs é carreteiro é de ônibus em geral.

    Quer melhorar o design interno e externo
    conte comigo.
    Tenho visão não só do ônibus do futuro como o FUTURISTA.
    Painel, vista eletrônica, ergométricas, luzes externas tem que ser mudadas também.
    O acento do motorista é uns dos piores, p/ quem passa até 10 horas dirigindo no engarrafamentos.

    Meus Contatos:
    Estrada Vereador Alceu de Carvalho CS: 27
    LT: 35 Rua: 2 Comdominio Premier.
    Bairro: Vargem Grande
    CEP: 22.785 -620
    Rio de Janeiro

    21 9.7434:9128

    Sem Mais:

    Aloisio.santos201565@gmail.com

  5. Aloísio dos Santos Oliveira disse:

    Quero fazer a Marcopollo ser a mundia no Brasil e no Mundo.
    Conte Comigo ok.

  6. Aloísio dos Santos Oliveira disse:

    Tenho a solução da invasão de receita nos terminais do BRTs do Rio de Janeiro. Tinha condições de fazer um projeto do BRT sair de STA CRUZ A APAVORADA entre 15 a 20 minutos.
    As obras da TRANSBRASIL está cheias de erros grossos. Mais ainda tem tempo p/ consertar algumas coisas.
    Além de motorista profissional, Sou
    Desenhista Arquitetônico.
    Mestre de Obras.
    Operador de Máquinas Pesadas .
    É com vários cursos no SENAI e no SEST
    SENAT.
    Dirigo desde 1975
    Conheço transportes como a mobilidade de Curitiba.
    São Paulo
    BRT da Colômbia ( Bogotá)
    Transmillenio.
    Tranco de Vitória e outros.

  7. Aloísio dos Santos Oliveira disse:

    Ratificando é

    Terminal ALVORADA

Deixe uma resposta