Greve de ônibus em Vitória continua nesta segunda-feira e audiência no TRT pode por fim à paralisação

Publicado em: 4 de maio de 2020

Empresa Tabuazeiro diz enfrentar dificuldades financeiros

Funcionários da Tabuazeiro dizem que estão sem receber salários e benefícios. Empresa relata dificuldades por causa de queda de demanda

ADAMO BAZANI

A greve de motoristas e funcionários dos transportes em Vitória, no Espírito Santo, completa mais de uma semana nesta segunda-feira, 04 de maio de 2020, e uma audiência às 16h no TRT – Tribunal Regional do Trabalho vai tentar por fim ao impasse.

A Justiça do Trabalho enviou documento à prefeitura sugerindo que sejam adiantadas em pelo menos um mês as verbas de custeio do sistema de transportes para a Viação Tabuazeiro quitar os atrasos com os funcionários.

O sindicato dos rodoviários informou que os funcionários da empresa de ônibus Tabuazeiro estão há 60 dias sem receber os salários. Na quinta-feira passada, 30 de abril, houve uma nova rodada de negociações, que terminou sem acordo entre os trabalhadores e as viações.

Desde a última quarta-feira, 29, deveriam ter sido colocados nas ruas 30% da frota programada da Viação Tabuazeiro e 100% dos ônibus escalados das empresas Unimar e Grande Vitória, de acordo com decisão da Justiça, que ainda determinou multa de R$ 200 mil à entidade trabalhista.

Como mostrou o Diário do Transporte, a greve na capital começou no dia 23 de abril somente com a Tabuazeiro. No dia 27, pararam os coletivos das outras empresas nas linhas municipais.

As empresas de ônibus alegam dificuldades financeiras devido à queda do número de passageiros ocasionada pela crise da Covid-19.

Adamo Bazani, jornalista especializado em transportes

Compartilhe a reportagem nas redes sociais:

Deixe uma resposta