Gontijo confirma oficialmente demissão de 140 motoristas

Publicado em: 30 de abril de 2020

Medida foi tomada por conta da crise no setor de transporte rodoviário e turismo, mediante pandemia do novo coronavírus

JESSICA MARQUES

A Gontijo confirmou oficialmente nesta quinta-feira, 30 de abril de 2020, ao Diário do Transporte, a demissão de 140 motoristas da empresa. A medida foi tomada por conta da crise no setor de transporte rodoviário e turismo, mediante pandemia do novo coronavírus.

Ao todo, a empresa empregava 1.905 motoristas. Após os cortes, restaram 1.765 rodoviários. Também nesta quinta, a Gontijo informou que descarta a necessidade de suspender ou romper os contratos dos demais trabalhadores.

No mês de abril, a empresa havia divulgado um comunicado interno sobre férias a todos. Nestas condições, o pagamento seria de 30% referente às férias de 30 dias. Outros 30% de abono salarial seria acertado até dezembro, de acordo com o documento.

“Esta medida vale também para os funcionários que estão com férias programadas para o mês de abril. Sendo assim, vai ser antecipada. Vamos aproveitar este tempo, para ficarmos em família e pedir a Deus para que logo tudo volte ao normal”, diz trecho do comunicado.

O objetivo da medida era evitar desligamentos. Contudo, mesmo com os trabalhadores em férias, a empresa não conseguiu evitar as demissões.

SETOR

O segmento rodoviário regular de transporte terrestre de passageiros representado pela Abrati compreende cerca de 80% do serviço realizado no país. É também o responsável pela geração de 60 mil empregos diretos, sendo 15 mil só para motoristas.

Por ano, o setor transporta mais de 50 milhões de passageiros e emite em média 2,2 milhões de passagens, além da oferta de 4,8 milhões de gratuidades ao ano.

Por conta da crise do novo coronavírus, as empresas de ônibus rodoviários interestaduais calculam que perderam, neste ano, 40% do faturamento anual, o que representa em torno de R$ 2,8 bilhões dos R$ 7 bilhões previstos para 2020.

Relembre: Empresas de ônibus rodoviários tiveram prejuízos de R$ 2,8 bilhões até agora, diz Abrati

Jessica Marques para o Diário do Transporte

Compartilhe a reportagem nas redes sociais:

Comentários

  1. Ana Andrade disse:

    Direitos trabalhista!

Deixe uma resposta