Empresas de ônibus de Curitiba colocam 104 ônibus zero-quilômetro em operação

Garagem da empresa Redentor - Curitiba, 16/04/2020 - Foto: Daniel Castellano / SMCS.

Ao todo, 23 são da marca Volvo, 71 Mercedes-Benz e 10 Volkswagen

JESSICA MARQUES

As empresas de ônibus de Curitiba, no Paraná, estão colocando 104 ônibus zero-quilômetro em operação. Conforme informado em nota pela Prefeitura nesta quinta-feira, 23 de abril de 2020, com esta entrega, o município contabiliza 514 veículos novos entregues desde 2017 para o transporte coletivo.

Destes 104 novos ônibus, seis são biarticulados, 30 articulados, 20 tipo padron, 44 comum e quatro microespeciais, segundo a Prefeitura. Do total, 23 são da marca Volvo (incluindo os seis biarticulados, os maiores da frota, com capacidade para 250 passageiros), 71 são Mercedes Benz e dez da marca Volkswagen.

Os novos veículos vão operar nas linhas Expresso, Linha Direta/Ligeirinho, Interbairros e Intercambiável (alimentadoras e convencionais). Os ônibus foram adquiridos antes da pandemia do novo coronavírus.

As empresas que adquiriram os novos ônibus foram Transporte Coletivo Glória (6), Santo Antonio (2), Auto Viação Mercês (5), Auto Viação Redentor (25), Expresso Azul (6), Tamandaré (10), Auto Viação São José (29) e Sorriso de Curitiba (21).

00297192

Confira a ficha técnica dos veículos, segundo a Prefeitura:

6 veículos do tipo Biarticulado, Volvo B340M, categoria Expresso (cor vermelha)
Capacidade de passageiros: 250
Câmeras: 8 internas + 1 de apoio ao condutor

9 veículos do tipo Articulado, M. Benz O500 MDA, categoria Expresso (cor vermelha)
Capacidade de passageiros: 180
Câmeras: 7 internas + 1 de apoio ao condutor

3 veículos do tipo Articulado, Volvo B340M, categoria Expresso (cor vermelha)
Capacidade de passageiros: 180
Câmeras: 7 internas + 1 de apoio ao condutor

6 veículos do tipo Articulado, M. Benz 0 500MA, categoria Linha Direta/”ligeirinho” (cor cinza)
Capacidade de passageiros:150
Câmeras: 6 internas + 1 de apoio ao condutor

7 veículos do tipo Padron, M. Benz 0 500M, categoria Linha Direta/”ligeirinho”, de 13 metros, (cor cinza)
Capacidade de passageiros: 95
Câmeras: 5 internas

9 veículos do tipo Padron, Volvo B 250R, categoria Linha Direta/’ligeirinho”, de 13 metros, cor cinza)
Capacidade de passageiros: 95
Câmeras: 5 internas

3 veículos do tipo Articulado, chassi M. Benz 0 500MA, categoria Interbairros (cor verde)
Capacidade de passageiros: 145
Câmeras: 6 internas + 2 de apoio ao condutor

9 veículos do tipo Articulado, chassi M. Benz 0 500MA, categoria Intercambiável (cor laranja);
Capacidade de passageiros: 145
Câmeras: 6 internas + 2 de apoio ao condutor

1 veículo do tipo Padron, M. Benz O500 M, categoria Interbairros, de 13 metros (cor verde)
Capacidade de passageiros: 95
Câmeras: 4 internas

3 veículos do tipo Padron, M. Benz O500 M, categoria Intercambiável, de 13 metros (cor laranja)
Capacidade de passageiros: 95
Câmeras: 4 internas

20 veículos do tipo Comum, M. Benz OF1721, categoria Intercambiável (cor laranja, de 12 metros)
Capacidade de passageiros: 90
Câmeras: 3 internas

9 veículos do tipo Comum, M. Benz OF1721L, categoria Intercambiável (cor laranja, de 12 metros)
Capacidade de passageiros: 90
Câmeras: 4 internas

10 veículos do tipo Comum, VW 17260 OD, categoria Intercambiável (cor laranja, de 12 metros)
Capacidade de passageiros: 90
Câmeras: 4 internas

5 veículos do tipo Comum, Volvo B270 F, categoria Intercambiável (cor laranja, de 12 metros)
Capacidade de passageiros: 90
Câmeras: 4 internas

4 veículos do tipo Microespecial (motor dianteiro, de 9,60 metros de comprimento), Mercedes Benz OF1519, categoria Intercambiável (cor laranja, de 9,60 metros)
Capacidade de passageiros: 65
Câmeras: 3 internas

Todos os ônibus vêm com motorização EURO V/PROCONVE P7, segundo a Prefeitura. Além das seguintes especificidades: “dois espaços para cadeirantes, sistema de monitoramento por câmeras, sinais sonoros e visual de fechamento das portas, plaqueta com o prefixo do ônibus em Braille, mensagem de voz na solicitação de parada do cadeirante, 20% de bancos destinados às pessoas com deficiência, iluminação interna em LED.”

META

Com a entrega, de acordo com a Prefeitura, sobe para 514 o número de veículos entregues desde 2017. Assim, foi superada em 28% a meta anunciada em 2017, que era de colocar 400 novos ônibus para rodar na cidade até 2020.

“É com muita alegria que superamos nossa meta entregando ao todo 514 novos veículos desde 2017. Garantimos que a população possa se deslocar com ônibus mais novos, melhores e com mais tecnologia”, disse o prefeito Rafael Greca, em nota.

Os 514 novos ônibus representam uma renovação da frota operante da cidade de 40%, também de acordo com a administração municipal.

“Curitiba é referência em BRT (Bus Rapid Transit, de canaletas exclusivas) para o mundo, com um modelo copiado para mais de 250 cidades e que custa mil vezes menos que o metrô”, disse também o prefeito.

A capital possui 1.250 ônibus que transportam, em período normal, até 1,23 milhão de passageiros por dia. As linhas realizam, em média, 14,1 mil viagens por dia e percorrem mais de 273 mil quilômetros. São 254 linhas urbanas operadas por três consórcios.

FUNCIONALIDADES

Ainda segundo a Prefeitura, os ônibus também estão preparados para agregar novas funcionalidades, que serão implantadas no sistema de transporte coletivo nos próximos meses.

Confira:

Biometria facial – reconhecimento da face para evitar fraudes na utilização dos cartões de estudantes e de isentos, como idosos e portadores de necessidades especiais;

Integração entre linhas – permitirá a troca de linhas de ônibus com o pagamento de apenas uma tarifa, sem a necessidade de estar em um terminal de integração;

Integração temporal – possibilitará a troca de linhas de ônibus com o pagamento de apenas uma tarifa, mas desde que realizada dentro de um período determinado;

Interoperabilidade entre sistemas metropolitanos – permitirá que usuários de outros sistemas metropolitanos possam utilizar apenas um cartão para o pagamento da tarifa;

Ampliação da tarifa mais barata – para um maior número de linhas e criação de tarifas mais baratas ou de valor diferenciado para determinados dias da semana e feriados ou para determinados trechos percorridos e/ou destinos;

Venda de créditos por aplicativos – para dar mais agilidade à utilização de aplicativos para celulares para a compra e recarga de créditos para o cartão-transporte;

Pagamento da tarifa com o celular – por aproximação do aparelho habilitado ao validador e com de créditos virtuais carregados no telefone;

Cartões de débito e de crédito para o pagamento da tarifa – operação com cartões cipurse, que oferecem mais segurança, não havendo, entretanto, a necessidade da substituição imediata dos atuais cartões que estão em operação;

Gestão da frota – modernização de todo sistema e utilização de equipamentos mais avançados para um maior controle sobre o cumprimento dos horários.

Jessica Marques para o Diário do Transporte

 

 

Compartilhe a reportagem nas redes sociais:
Comentários

Comentários

  1. Paulo Gil disse:

    Amigos, bom dia.

    Isso porque buzão não dá lucro; só dá choradeira.

    MUDA BARSILei.

    SAÚDE A TODOS”

    Att,

    Paulo Gil

  2. JOSE LUIZ VILLAR COEDO disse:

    CURITIBA E SUA REGIÃO METROPOLITANA… OUTRO PAÍS ! Nem parece Brasil! Parabéns!

Deixe uma resposta