Curitiba lança aviso de licitação para lote de obras da Linha Verde Norte

Início da obra, em 2018, tinha previsão de entrega para o final de 2020.

Pacote de obras inclui estação Vila Olímpica e estação Fagundes Varela, e tem extensão aproximada de 2,46 km

ALEXANDRE PELEGI

Curitiba, no Paraná, decidiu através da Secretaria municipal de Obras Públicas (SMOP) realizar a licitação para contratação de empresa para execução de obra da ampliação da capacidade do BRT complementação da Linha Verde Norte Lote 3.1.

A publicação consta no Diário Oficial da União desta quarta-feira, 22 de abril de 2020.

O certame, marcado para 20 de maio próximo, será realizado através do Regime Diferenciado de Contratação (RDC) – presencial, do tipo maior desconto, modo de disputa fechada. A sessão será realizada em ambiente virtual.

A empreitada será feita por preço unitário, e as obras contemplam a Estação Vila Olímpica e a Estação Fagundes Varela, com extensão aproximada de 2,46 km.

Além das duas estações, os serviços de engenharia civil abrangem a administração local de obra, serviços preliminares, pavimentação, paisagismo, obras complementares, sinalização viária, encaixes, iluminação pública, passarela – estrutura metálica e acesso ao correio.

As obras serão bancadas com recursos provenientes do Programa de Recuperação Ambiental e Ampliação da Capacidade de RIT (contrato de Empréstimo nº CBR 3005 01k/2010 celebrado entre a Agencia Francesa de Desenvolvimento – AFD e o Município de Curitiba), além de recursos oriundos do Programa Mobilidade Urbana e Transito, Ação Apoio a Sistemas de Transporte Público Coletivo Urbano, com termo de compromisso e repasse celebrado entre o Município e a Caixa Econômica Federal. Também serão utilizados recursos da Operação Urbana Consorciada Linha Verde OUC-LV.

O Edital encontra-se disponível para download no site http://www.curitiba.pr.gov.br no ícone “Licitações”, ou ainda junto à Unidade de Gerenciamento do Programa – UGP, na Rua Bom Jesus 669 – Cabral, Curitiba-Paraná.

curitiba_linhaverde

O projeto completo da expansão da Linha Verde prevê as seguintes intervenções:

– implantação de canaleta exclusiva para o transporte coletivo tipo BRT, para o tráfego de ônibus articulados e biarticulados;

– implantação das vias marginais, que são as duas vias laterais à canaleta exclusiva, destinadas à circulação de veículos em geral;

– implantação das vias locais, esquerda e direita, para acessos e atendimento às atividades lindeiras;

– implantação de uma transposição em desnível (trincheira), com seis faixas de circulação;

– construção de uma estação de embarque e desembarque similar às já existentes ao longo da Linha Verde (Estação Atuba), com a integração com ônibus alimentadores.

A obra ao longo do contrato tem registrado problemas. O início foi em novembro de 2018 e a previsão de entrega era final de 2020.

Em agosto de 2019, o prefeito Rafael Greca em entrevista afirmou: “Estamos com problemas com a empresa responsável pelas obras nos lotes 3.1, 3.2 e 4.1. Já tomamos as providências para a rescisão contratual e colocaremos outra empresa com capacidade financeira para executar as obras”, afirmou.

A construtora só tinha cumprido menos de 5% do projeto.

Alexandre Pelegi, jornalista especializado em transportes

Compartilhe a reportagem nas redes sociais:
Comentários

Comentários

Deixe uma resposta