CPTM e Metrô devem perder R$ 500 milhões com crise do coronavírus, diz Baldy

Publicado em: 22 de abril de 2020

Transportes metropolitanos tiveram redução de frota e demanda

Secretário, entretanto, garantiu que esse prejuízo não vai ser repassado para os passageiros

ADAMO BAZANI

A crise ocasionada pelo novo coronavírus deve gerar um prejuízo de aproximadamente R$ 500 milhões à CPTM – Companhia Paulista de Trens Metropolitanos e à Companhia do Metrô.

A informação é do secretário dos Transportes Metropolitanos de São Paulo, Alexandre Baldy, em entrevista à Rádio Bandeirantes.

O motivo é a redução de demanda geral por causa das necessárias medidas de isolamento social para impedir o avanço do vírus com o objetivo de não sobrecarregar ainda mais os sistemas de Saúde público e privado. Não há vacina contra o novo coronavírus.

Em geral, a quantidade de passageiros teve uma queda de aproximadamente 75%. Houve também redução da frota em circulação, mas em percentuais menores para evitar superlotação, uma recomendação das autoridades de Saúde.

Mesmo assim, houve registros de trens lotados, em especial nos horários de pico.

Baldy disse que todas as viagens são monitoradas e realizadas as alterações quando são identificadas aglomerações.

O secretário ainda garantiu que o prejuízo não será repassado aos passageiros.

Adamo Bazani, jornalista especializado em transportes

Compartilhe a reportagem nas redes sociais:

Deixe uma resposta