BNDES credencia BYD Brasil para Finame de chassis e baterias de ônibus elétricos

Publicado em: 20 de abril de 2020

Estimativa é de redução em preço final de veículos. Foto: Adamo Bazani

Incentivo à tecnologia limpa e de baixo custo operacional é concedido em meio à pandemia do Coronavírus, que revela expressiva redução de poluição no mundo

ALEXANDRE PELEGI

Em meio à pandemia do Coronavírus, a BYD Brasil divulga uma boa notícia para o mercado.  

A fabricante de chassis 100% elétricos foi credenciada pelo BNDES para que os chassis de ônibus 100% elétricos e suas baterias de fosfato ferro lítio utilizadas nos veículos possam ser adquiridos por meio de financiamento do Finame.

Como explica a empresa em comunicado à imprensa, o Finame é um financiamento voltado para aquisição de máquinas, equipamentos e bens de informática e automação. Dentro do programa, as empresas interessadas poderão financiar até 80% do valor do ônibus 100% elétrico, em um prazo de até 10 anos, com 2 anos de carência.

Os 20% de entrada, podem ser divididos em 8 parcelas trimestrais.

O BNDES enquadrou no Finame os seguintes equipamentos: bateria refrigerada para ônibus padron elétrico piso baixo D9W e chassis piso baixo 12,5m propulsão elétrica – D9W.

A BYD informa que, com a inclusão no Finame, ela passa a negociar em igualdade de condições com os ônibus a diesel, que já são enquadrados nesta linha do BNDES.

O Finame é muito importante para que empresas do setor possam financiar a juros mais baixos os ônibus 100% elétricos. A tecnologia limpa, sustentável e de baixo custo de manutenção tem sido muito procurada, mas o investimento esbarrava na falta de política de financiamento atraente. Acreditamos que este será um marco para a introdução do ônibus elétrico no País”, afirma o Diretor da Divisão de Ônibus da BYD do Brasil, Marcello Von Schneider.

A BYD aposta que os ônibus 100% elétricos poderão se tornar alternativa econômica em meio à crise que se vislumbra. “Além de não poluentes, os ônibus elétricos são econômicos, tendo custo operacional 70% menor que um ônibus a diesel convencional. Na comparação com o diesel, o gasto com o abastecimento elétrico chega a ser equivalente 25% do que a de um veículo a diesel. Além disso, o número reduzido de peças em um veículo 100% elétrico reduz drasticamente a necessidade de manutenção, proporcionando maior disponibilidade do veículo em comparação ao convencional à combustão”, completa o comunicado.

A BYD Brasil desde 2015 possui fábrica de produção de chassis 100% elétricos em Campinas. Desde esta época a empresa iniciou a nacionalização de componentes.

A fábrica instalada em Campinas tem capacidade de produção de 720 chassis por ano, podendo expandir a fabricação para até 1.440 chassis por ano.

Em 2020, a BYD Brasil vai abrir sua terceira fábrica, em Manaus, voltada para a fabricação de baterias de fosfato ferro lítio que além dos ônibus e outros veículos 100% elétricos, podem ser utilizadas também em equipamentos de armazenamento de energia.

Alexandre Pelegi, jornalista especializado em transportes

Compartilhe a reportagem nas redes sociais:

Comentários

  1. Paulo Gil disse:

    Amigos, bom dia.

    O BNDES estava esperando o COVID-19m né; só pode.

    Até que enfim, “ki bsurdo”

    VIVA O COVID-19, o EXTERMINADOR DE JURÁSSICOS.

    SAÚDE A TODOS!

    Att,

    Paulo Gil

Deixe uma resposta