Coronavírus: Frota de ônibus do ABC pode ser revisada e algumas atividades econômicas serão liberadas

Ônibus da região da Vila Luzita, em Santo André, uma das regiões que passageiros apontam lotação nos horários de pico. Foto: Adamo Bazani

Prefeitos vão criar protocolo para fluxo de pessoas nos mercados, limitar horários de postos de combustíveis e analisar preços de testes para a Covid-19

ADAMO BAZANI

A frota de ônibus em operação no ABC Paulista pode ser alterada pontualmente dependendo da lotação em algumas linhas e horários.

A informação é do presidente do Consórcio Intermunicipal ABC, Gabriel Maranhão, prefeito de Rio Grande da Serra, em entrevista coletiva após reunião dos prefeitos nesta terça-feira, 07 de abril de 2020.

Passageiros têm relatado lotação nos horários de pico em diversas linhas, em especial em Santo André, São Bernardo do Campo e Mauá.

A OMS – Organização Mundial da Saúde e o Ministério da Saúde recomendam que sejam evitadas aglomerações.

Desde 30 de março, por causa da redução da demanda e para desestimular os deslocamentos desnecessários, circulam no ABC durante a semana e sábados, 50% da frota nos horários de pico e 30% nos demais horários. Aos domingos e feriados, este percentual cai para 30% no pico e 15% nos outros horários.

Os prefeitos chegaram até a pensar em bloquear todo o transporte municipal no ABC, mas voltaram atrás após reunião com o secretário dos Transportes Metropolitanos, Alexandre Baldy.

Linhas como TR 101, TR 103, TR 141, B 47, B 63 e I 05, em Santo André; 05 e 06 em São Bernardo do Campo; e Zaíra 4, em Mauá, são alguns exemplos de maior quantidade de passageiros nos horários de pico.

Na capital paulista, a SPTrans tem realizado sucessivos ajustes na frota para tentar evitar as aglomerações nos ônibus.

Na segunda-feira passada, a SPTrans reduziu a frota para 40% do habitual, mas teve de fazer ajustes dia a dia e, com mais um acréscimo nesta terça-feira, 07, a circulação vai para 49,71% de um dia útil.

Na terça-feira (31/03), a frota foi ampliada em 151 ônibus, na quarta-feira (01/04) em mais 50; na quinta-feira (02/04) foram mais 30 ônibus e, na sexta-feira (03/04) outros 163, todos distribuídos em diversas linhas. Já na segunda-feira (06/04) mais 401 ônibus em circulação. Na terça-feira (07/04), o acréscimo foi de 312 ônibus.

Ao ser questionado se defende a suspensão das gratuidades nos ônibus aos idosos (que integram grupo de risco para a doença), como fez São Bernardo do Campo, por exemplo,  Gabriel Maranhão disse que cada prefeito da região tem sua decisão independente, mas afirmou que medidas radicais podem prejudicar os idosos que realmente terão de se deslocar.

“Eu fico preocupado em ser muito restritivo e o idoso que utiliza o ônibus para algum assunto importante seja prejudicado com essa medida em seu compromisso” – disse o prefeito Maranhão.

NOVAS MEDIDAS:

Nesta terça-feira, durante a reunião, os prefeitos decidiram novas medidas diante do avanço do coronavírus na região, que tem 257 casos confirmados, quase 3 mil suspeitas e 31 mortes até o início da tarde.

Uma das ações será controlar o fluxo de pessoas em supermercados e casas lotéricas. Devem ser criados protocolos para que em toda a região os estabelecimentos adotem medidas de limitação de lotação e de higienização dos clientes na entrada, bem como de cestas e carrinhos.

O Diário do Transporte visitou três mercados em Santo André. No Carrefour da Avenida Pereira Barreto, funcionários mediam a temperatura dos clientes na entrada, colocavam álcool em gel nas mãos dos clientes e higienizavam na hora carrinhos e cestas. As filas de caixas tinham demarcações para distanciamento.

Já na Coop da Avenida Pereira Barreto, havia álcool em gel na entrada para os clientes se higienizarem, mas o produto não estava muito visível. Havia demarcações no chão das filas. Não havia medição de temperatura dos clientes.

Já no Nagumo do Ipiranguinha, não havia álcool em gel, nenhum tipo de medição de temperatura e alguns caixas estavam sem demarcação.

As atividades das óticas serão liberadas, preferencialmente em forma de delivery.

Os prefeitos também devem estimular os atendimentos em delivery de outras atividades.

Assim como já ocorre em São Bernardo do Campo, os postos de combustíveis só poderão atender de segunda-feira a sábado das 7h às 19h nas outras cidades do ABC. O mesmo horário vale para as lojas de conveniência dos postos.

Umas promessas do Consórcio, a compra de um milhão de kits para testes da Covid-19, também foi tema da reunião e da entrevista.

Segundo Gabriel Maranhão, os secretários municipais de saúde verificam no mercado os melhores preços e se as empresas que estão oferecendo os testes possuem registros na Anvisa – Agência Nacional de Vigilância Sanitária e para importação.

Maranhão ainda disse que os prefeitos do ABC vão solicitar ao TJ – Tribunal de Justiça de São Paulo a possibilidade de postergarem o pagamento dos precatórios devidos pelas cidades para a partir de 31 de dezembro.

Juntamente com associações de prefeitos e municípios, o Consórcio Intermunicipal do ABC vai encaminhar ao presidente Jair Bolsonaro e aos presidentes da Câmara e do Senado, Rodrigo Maia e Davi Alcolumbre, 16 medidas econômicas para auxílios às cidades no combate ao coronavírus.

Adamo Bazani, jornalista especializado em transportes

Colaborou Willian Moreira

Compartilhe a reportagem nas redes sociais:
Comentários

Comentários

Deixe uma resposta