Avenida das Nações Unidas será parcialmente interditada devido a obras da CPTM

Publicado em: 28 de março de 2020

Foto: Av. das Nações Unidas/Reprodução Google Maps

Construção da futura estação João Dias vai causar reflexos na circulação dos veículos

WILLIAN MOREIRA

A Companhia de Engenharia de Tráfego da prefeitura de São Paulo comunicou que a partir do dia 30 de março de 2020, e pelo próximos 18 meses, a Avenida das Nações Unidas no sentido Castelo Branco, altura do número 17.007, terá a faixa da direita na pista local interditada de segundas aos sábados entre às 10h e 16h.

A interdição será necessária para as obras de construção da nova estação João Dias da Linha 9-Esmeralda.

Para preservar a segurança dos pedestres e melhor circulação do trânsito, a CET vai monitorar o local durante o período de interdição.

O novo ponto de parada da linha será construído pela iniciativa privada em parceira com o Governo do Estado, que receberá a estação em modo de doação.

Como mostrou o Diário do Transporte, a Cetesb, companhia ambiental do Estado de São Paulo, concedeu licença ambiental de instalação para a estação João Dias, da linha 9-Esmeralda da CPTM – Companhia Paulista de Trens Metropolitanos em janeiro deste ano. Em nota, a Companhia de trens informou que, com a concessão da licença, as obras da primeira estação que será construída pela iniciativa privada já poderiam ser iniciadas.

O projeto da construção da Estação João Dias da CPTM foi objeto de procedimento de manifestação de interesse pela iniciativa privada aberto pela Companhia. O objetivo foi receber doações sobre direitos de propriedade para a construção da estação João Dias, da linha 09 – Esmeralda. Relembre: Empresa oferece doação para a Estação João Dias da linha 9 e CPTM abre manifestação de interesse à iniciativa privada

A parada vai ser localizada entre as estações Santo Amaro e Granja Julieta. A estimativa de demanda é de 10,7 mil passageiros por dia e, inicialmente, a previsão de entrega era até 2021. Pelo projeto executivo, a estação terá uma entrada dentro do empreendimento da Brookfield Properties (onde possui duas torres corporativas) e uma entrada principal na pista local da Marginal Pinheiros. A nova estação contará com edifício principal, passarela de acesso à plataforma central e terá escadas rolantes, fixas e elevadores, garantindo acessibilidade a todos.

O procedimento foi necessário diante da oferta para a CPTM de doação da Brookfield Properties, investidora e gestora global de ativos imobiliários da Brookfield. A empresa ofereceu os direitos sobre propriedade de unidade autônoma em condomínio do empreendimento imobiliário, com torres residenciais, que possui ao lado da área correspondente à futura estação.

A Brookfield faz a doação com propósito específico de implantar a estação João Dias, o que a execução das obras e o projeto “contemplando o edifício de acesso, a plataforma de embarque e desembarque e a passarela de acesso, sobre a Avenida das Nações Unidas, que interligará a estação à plataforma de embarque, além da infraestrutura ferroviária da Linha 9 – Esmeralda, que inclui realocação temporária da rede aérea e sinalização ferroviária”.

Willian Moreira em colaboração especial para o Diário do Transporte

Compartilhe a reportagem nas redes sociais:

Deixe uma resposta