Doria libera espaços de postos de pesagem para descanso de caminhoneiros e motoristas de ônibus até 30 de junho

Publicado em: 27 de março de 2020

O acesso de caminhões até às 17h aos domingos na capital está liberado. Motoristas de ônibus e caminhoneiros poderão denunciar postos e locais de alimentação fechados nas rodovias

ADAMO BAZANI

Em entrevista coletiva na tarde desta sexta-feira, 27 de março de 2020, o governador de São Paulo, João Doria, anunciou que os postos de pesagem de caminhões e ônibus serão liberados para parada de descanso de caminhoneiros e outros motoristas profissionais.

A liberação é até 30 de junho de 2020.

Além disso, até esta mesma data está liberado o aceso de caminhões pelas estradas à capital paulista até às 17h00. Dependendo da rodovia, este acesso antes era proibido.

Doria também anunciou a criação de dois canais de denúncia para motoristas de ônibus, caminhoneiros e demais condutores profissionais relatarem postos e pontos de venda de alimento fechados nas rodovias.

A denúncia pode ser feita pelo telefone 0800-055 55 10 ou pelo e-mail: abastecimentoseguro@sp.gov.br

O governador ainda anunciou a liberação de R$ 50 milhões para a prefeitura com depósito na segunda-feira, 30, para financiar os hospitais de campanha.

Os anúncios foram feitos no hospital de campanha montado no estádio do Pacaembu.

Doria acrescentou que seguindo as normas de saúde, é fundamental que estradas estejam abertas bem como em operação dos transportes de passageiros (em especial de profissionaos de setores essencias) e de carga.

CRÍTICAS AO ISOLAMENTO COMO BOLSONARO PREGA:

O governador de São Paulo, João Doria, não poupou críticas à postura do presidente Jair Bolsonaro de querer retomar todas as atividades no País, somente isolando idosos e pessoas com doenças graves pré-existentes.

“Brasil pode parar para lamentar a irresponsabilidade de alguns e a morte de muitos” –disse Doria ao se referir que 50 países estrão em quarentena

“O mundo inteiro está errado e somente o presidente Jair Bolsonaro está certo? (…) A campanha que o Governo Federal está lançando hoje vai na contramão do recomendado pelo Ministério da Saúde. Estes R$ 4,8 milhões na campanha para desinformar o Brasil deveria ser usado para hospitais e compras de insumos (…) o Brasil precisa discutir quem será o fiador das mortes no Brasil (…) A política que salva a economia não é a que mata pessoas” – disse Doria ao citar o arrependimento do prefeito de Milão ao fazer o que Bolsonaro prega, retorno das atividades e isolamento vertical, ou seja, somente das pessoas idosas, com problemas de saúde ou sintomas gripais.

Coronavírus já mata 1 a cada 2h20 no Estado de SP

Em nota, balanço da Secretaria de Estado da Saúde; revela que já são 68 óbitos no Estado de São Paulo. Capital ainda lidera casos de contaminados e mortos, mas registros na Grande São Paulo crescem.

 O número de óbitos relacionados ao novo coronavírus no Estado de São Paulo cresceu 209% em apenas cinco dias, conforme balanço da Secretaria de Estado da Saúde. No último domingo (22), o Estado registrava 22 mortes, contra 68 nesta sexta-feira (27). Municípios da Grande São Paulo e do Interior também registram óbitos.

 Em apenas 24 horas foram registradas mais 10 mortes, o que significa que a doença mata, em média, uma pessoa a cada duas horas e vinte minutos.

 No domingo, apenas a Capital paulista registrava óbitos relacionados à doença. Já nesta quinta-feira, os municípios de Vargem Grande Paulista, Guarulhos, Taboão da Serra e Ribeirão Preto também contabilizam pelo menos um óbito.

 Dos 10 novos óbitos contabilizados hoje, 4 são homens (66, 67, 91 e 93) e 6 mulheres (63, 63, 65, 77, 85 e 89). Nove são da Capital e um do município de Guarulhos.

 O Estado também registra 1.223 casos confirmados da doença.

Adamo Bazani, jornalista especializado em transportes

Compartilhe a reportagem nas redes sociais:

Comentários

  1. Fabrício Santos disse:

    Difícil a vida dos comerciantes ! Até ontem se estivesse aberto era MULTA . A partir de agora se estiver FECHADO , MULTA ! Vai catar coquinho vai Sr,. dória ( isso , com “d” minúsculo mesmo )

Deixe uma resposta