Prefeitura e empresas de ônibus de São Paulo criam Grupo de Trabalho contra coronavírus

Publicado em: 15 de março de 2020

Uma das alternativas é disponibilizar álcool gel para passageiros nos terminais; comunicação deve ser intensificada

ADAMO BAZANI / JESSICA MARQUES

A Secretaria Municipal de Mobilidade e Transportes, a SPTrans – São Paulo Transporte e todas as empresas de ônibus da capital paulista criaram um Grupo de Trabalho permanente para tentar prevenir a disseminação do coronavírus no transporte público da cidade.

Em pleno domingo, 15 de março de 2020, os representantes das viações, o presidente da SPTrans, Levi dos Santos Oliveira, e o secretário de Mobilidade e Transportes da cidade de São Paulo, Edson Caram, discutiram maneiras de como evitar a proliferação do coronavírus na capital, evitando o contágio no transporte público.

Entre as medidas que podem ser tomadas pelas companhias de ônibus, em conjunto com a SPTrans, gerenciadora do sistema, é a disponibilização de álcool gel para os passageiros nos terminais.

Outra frente deve ser na comunicação com os passageiros, com mensagens sobre métodos do dia a dia que podem ajudar a previnir o Covid-19, coronavírus, que foi declarado como pandemia pela OMS (Organização Mundial da Saúde).

As empresas também devem intensificar a higienização dos veículos.

A Secretaria de Mobilidade e Transportes divulgou ainda dicas para evitar o coronavírus, de modo geral.

“Mantenha os ambientes arejados, higienize bem as mãos com frequência, evite tocar nos olhos, nariz e boca e, quando espirrar ou tossir, use a parte interna do seu braço”, informou.

Mais reuniões devem ser realizadas, nas quais serão apresentados planos de combate ao coronavírus, que vão dar origem a medidas voltadas tanto para passageiros quanto para os funcionários da SPTrans, dos terminais e das próprias companhias de ônibus.

Na última semana, a SPTrans divulgou uma circular com orientações às empresas sobre o tema. Veja abaixo:

Ainda não foram discutidas medidas como redução de frota e adequação dos horários.

De acordo com o balanço mais recente do Ministério da Saúde, divulgado neste sábado, 14, o Brasil tem 121 casos confirmados de contaminação pelo novo coronavírus.

Destes, 65 casos foram registrados no Estado de São Paulo, também de acordo com a Pasta.

Adamo Bazani, jornalista especializado em transportes

Jessica Marques para o Diário do Transporte

Compartilhe a reportagem nas redes sociais:

Comentários

  1. Paulo Gil disse:

    Amigos, bom dia.

    O COVID-19 não sobrevive na sujeira do buzão de Sampa KKKKKKKKKKKKKKKKKKKKKKKKKKK.

    Há décadas eu peço para a fiscalizadora limpar o buzão de Sampa e nada.

    Graças a Deus, teve de vir o COVID-19 para a fiscalizador se mexer.

    Bom as solicitações do Paulo Gil nenhuma empresa fez.

    Quero ver agora se vão desrespeitar a solicitação da Superintendência de Contratos do Sistema de Transporte da fiscalizadora (apesar de não conter o nome da pessoa que assina).

    Lembrando que agora não é o Paulo Gil que está solicitando.

    Vamos lá água, sabão de côco, pano de saco de farinha, e wap.

    É só usar e limpar que o buzão ficará limpo.

    A exemplo dos asseados buzões da LEGÍTIMA VIAÇÃO GATO PRETO, À ÉPOCA DO SR. LUIZ GATTI, inclusive com matéria publicada no jornal, se não me falha a memória no Estadão ou na Folha.

    MÃOS A OBRA.

    Vou conferir heim, me aguardem.

    VIVA o COVID-19 o único capaz de fazer a fiscalizadora pedir pra limpar o buzão de Sampa e ela atender.

    Att,

    Paulo Gil

Deixe uma resposta