LiraBus compra os dois primeiros Mascarello novo Roma R6. Um dos veículos está em estágio final de preparação

Publicado em: 28 de fevereiro de 2020
LiraBus Mascarello

Veículo traz inovações no mercado de ônibus rodoviários e Grupo Belarmino sai na frente, diz fabricante. Foto: Divulgação Macarello e LiraBus para Diário do Transporte – Mantenha os créditos

Companhia do Grupo Belarmino logo deve receber um dos veículos na garagem

ADAMO BAZANI

A empresa operadora de linhas rodoviárias regulares e de fretamento, Lira Bus, com sede em Campinas, no interior paulista, adquiriu duas unidades do Mascarello novo Roma R6.

Um dos veículos já está em fase final de preparação na fabricante, em Cascavel, no Paraná, e a expectativa é de que nas próximas semanas já esteja na garagem da companhia de transportes.

É a primeira aquisição comercial do modelo que foi lançado em novembro de 2019 durante o evento “Fretamento 2019”, realizado pela ANTTUR – Associação Nacional dos Transportadores de Turismo e Fretamento e pela FRESP – Federação das Empresas de Transportes de Passageiros por Fretamento do Estado de São Paulo.

As unidades compradas pela Lira, empresa do Grupo Belarmino, são de chassis Mercedes.

O diretor de Comunicação do Grupo Belarmino, Paulo Barddal, disse ao Diário do Transporte que um dos objetivos em investimentos em modelos novos é se manter atualziado no mercado.

“A Lirabus, integrante do Grupo Belarmino, é reconhecida entre os clientes finais pela qualidade na prestação de serviços. Para nos mantermos atualizados em relação ao mercado, buscamos investir em veículos diferenciados e que tragam mais conforto à nossa clientela“, afirmou

Por meio de nota ao Diário do Transporte, a Mascarello traz detalhes dos veículos.

Tendo em vista a nova identidade visual da Viação Lira Ltda (LiraBus) com traços inovadores e de personalidade marcante, a empresa do Grupo Belarmino, investiu na renovação de sua frota com as duas primeiras unidades do novo rodoviário Mascarello Roma R6.

O objetivo da Mascarello é transformar a viagem das pessoas em novas experiências.

A carroceria foi desenvolvida com aço mais leve e resistente, característca que reduz a manutenção, consumo de combustível, desgaste de peças e pneus, potencializando a economia para o Grupo no transporte de passageiros em médias e longas viagens.

Com design futurístico e linhas fluidas, o ônibus foi projetado para elevar o nível de conforto, sofisticação e segurança dos passageiros.

A nova grade frontal, os detalhes cromados e limite do conjunto de vidros alinhados com a lataria mais lisa realçam a marca LiraBus no Mascarello Roma R6.

Os conjuntos ópticos dianteiro e traseiro foram redesenhados e, além de novas formas, passaram a ser integralmente de LED.

Acoplado no chassi Mercedes-Benz O-500 RSD 2436 6×2, o Mascarello Roma R6 para a empresa conta com novos espelhos retrovisores, que estão mais compactos, porém com maior abrangência de visão da carroceria, reduzindo os chamados “pontos-cegos”, proporcionando uma excelente dirigibilidade, com melhores arrancadas e retomadas de velocidade, ultrapassagens mais ágeis e seguras.

O bagageiro possui 1200mm de altura e com volume para DPM, totalizando 12.7m³.

Possui as novas poltronas Diamond, em couro, 1060 mm de largura e capacidade para transportar 46 passageiros, contabilizando o espaço entre as poltronas de 450mm.

Os primeiros ônibus vendidos no mercado nacional circularão nas principais rodovias de São Paulo e Campinas, realizando o translado entre os maiores aeroportos do Brasil.

POSICIONAMENTO NO MERCADO:

Com o novo Roma R6, a Mascarello quer se posicionar nos segmentos de rodoviários e de fretamento.

Na ocasião do lançamento, a presidente da empresa, Iracele Mascarello, em entrevista exclusiva ao Diário do Transporte, disse que o ônibus é um novo passo para a marca.

“É o amadurecimento e solidez da empresa, que adquirimos ao longo do tempo, representado por um produto que veio para ficar”, afirmou.

Relembre:

https://diariodotransporte.com.br/2019/11/09/novo-roma-r6-e-fruto-do-amadurecimento-da-mascarello-no-mercado-diz-presidente-da-empresa/

O MODELO

Segundo a Mascarello, na estrutura do novo modelo é usado aço mais leve e também mais resistente, o que foi possível devido ao desenvolvimento em conjunto com a siderúrgica fabricante do material.

Com o peso inferior da estrutura, a encarroçadora diz que o veículo pode ter redução do consumo de combustível e menor desgaste de peças e pneus.

O modelo também enquadra a Mascarello na categoria de ônibus com bagageiros de 1,2 metro de altura (1200 mm).

A aerodinâmica do teto, de acordo ainda com a empresa, foi modernizada em relação aos modelos anteriores da linha. Um dos ganhos é a maior fluidez da água, principalmente de chuva e do processo de lavagem, evitando acúmulo no teto, em especial nas proximidades do ar-condicionado.

Além do novo desenho, a parte superior que está mais lisa ganhou calhas para o escoamento de água. A pedido do mercado, segundo a Mascarello, o “teto solar” escuro na frente foi mantido, mas com formas renovadas.

Outra mudança funcional destacada pela encarroçadora ao Diário do Transporte são os novos espelhos retrovisores, que estão mais compactos, porém com maior abrangência de visão da carroceria, reduzindo os chamados “pontos-cegos”.

Os conjuntos óticos dianteiro e traseiro foram redesenhados e, além de novas formas, passaram a ser integralmente de led.

Segundo a Mascarello informou ao Diário do Transporte, para desenvolver o novo ROMA R6 a empresa fez um trabalho de consulta aos frotistas que operam as versões anteriores dos ônibus rodoviários da marca, colhendo sugestões de aspectos que deveriam ser melhorados.

O novo modelo se posiciona entre o ROMA R6 e o ROMA R8, até então o topo da linha de rodoviários, que passa a ter produção descontinuada.

Assim, com o novo ROMA R6, que passa a ser o modelo mais sofisticado, a Mascarello garante que a linha de rodoviários passou por uma evolução.

A parte estética também foi levada em conta.

Com desenho mais fluido, a carroceria passa a ter mais requinte e visual futurista, segundo a empresa.

As áreas cromadas ganham destaque, como o limite entre o conjunto de vidros e a porta e a grade dianteira.

A lataria está com menos vincos, o que facilita a limpeza e a manutenção.

O para-brisa pode vir inteiriço ou bipartido.

Para o interior, a proposta da Mascarello foi para que o passageiro e o motorista se sentissem num veículo diferente e mais sofisticado que outros ônibus rodoviários da linha.

Há a opção da nova poltrona “Diamond” de couro, com design exclusivo para o modelo.

Os revestimentos laterais internos e cortinas ganharam nova coloração, mais sóbria e também com a proposta de sofisticação.

A área de funcionalidades individuais para o passageiro, que fica sobre as poltronas e na parte inferior do porta-pacotes, recebeu cor preta, para evitar a aparição de sujeira. É nesta parte onde ficam as saídas individuais do ar-condicionado, luzes de leitura e botões de chamada do motorista. As tomadas USB para carregamento de celulares e outros dispositivos móveis também foram para esta área.

Segundo a Mascarello, foi possível também usar um material que deixasse o porta-pacotes (superior às poltronas) mais fino, ampliando a capacidade.

CARACTERÍSTICAS DO ‘ROMA R6’

Capacidade do bagageiro – 1200mm

Salão de passageiros – 1910mm

Pode ser encarroçado com chassis – VW Man, Mercedes Benz, Scania, Volvo.

Opções de comprimento:

Mercado Nacional: de 12.8mts a 14mts

Mercado Exportação: 12.8mts a 15mts

Altura externa: 3700mm (com suspensão baixa)

Altura interna para o passageiro: 1910mm

Largura interna: 2500mm

Largura externa: 2600mm

Poltronas: novas poltronas Diamond, em couro, 1050mm de largura.

Corredor para passagem: 350mm.

Volume do bagageiro: padrão dos rodoviários, seguindo com bagageiro de 1200mm de altura e com volume para DPM, totalizando 12.7m³

Adamo Bazani, jornalista especializado em transportes

Compartilhe a reportagem nas redes sociais:

Comentários

  1. Rui Camptrans disse:

    Boa aquisição , carroceria boa e diferenciada , só deveriam ter adquirido no chassi Scania ou Volvo na minha opinião mais tá valendo , devem colocar eles no turismo de longa distância já que alugaram os LDS para outras empresas..

  2. Edilson Souza Soares disse:

    Mascarello acabamento internos são ruim, segunda qualidade, pode diferenciar nova carroceria, vc ver ônibus coletivos, são ruim de acabamento internos, e feios, poltronas começa a desafazer de cor rápido, carrocerias não existe melhor do que Marcopolo e atual melhorou muito, Comil.

  3. Washington Luís Silva disse:

    Falta uma reportagem falando de valores com chassis diferentes e vários tipos de carroceria e configuração

  4. Paulo Gil disse:

    Amigos, bom dia.

    Não dá pra ver direito, mas se a traseira for arredondada igual ao ex New Road a Mascarello acertou na mosca e entrou no vácuo deixado pelo LINDÃO ex Neua Road.

    Também não dá pra ver se o friso dianteiro é cromado.

    Se for tudo bem.

    Caso negativo aplicar um friso cromado ou inox polido ficaria showwwwwwwwwwwwwwwwwwwwwwww.

    Aproveitando o ensejo a LIRA deveria ter aplicado uma nova pintura essa aí é muito pesada e poluida.

    Att,

    Paulo Gil
    “Buzão e Emoção é a Paixão

Deixe uma resposta