ANTT apreende dois ônibus da Buser em Goiânia

Publicado em: 12 de janeiro de 2020

Ônibus apreendidos. Foto: Divulgação / ANTT

Foi a terceira apreensão realizada na capital goiana desde dezembro

ALEXANDRE PELEGI/JESSICA MARQUES

A Agência Nacional de Transportes Terrestres (ANTT) apreendeu dois ônibus da Buser que fariam viagens para Belo Horizonte e Brasília próximo à Rodoviária de Goiânia na noite desta sexta-feira, 10 de janeiro de 2020.

A informação é do jornal O Popular, de Goiás.

Outra apreensão já havia sido feita no dia 6 de dezembro de 2019, na mesma região.

A ANTT alega que veículos contratados por fretamento não podem prestar serviços como ônibus de linhas convencionais.

Ontem, os passageiros dos ônibus estavam embarcando em locais dentro e fora da Rodoviária, o que estaria em desacordo com a legislação.

A equipe fiscalizatória da ANTT encontrou ainda irregularidades nos veículos fretados, como falta de sinalização de saída de emergência, extintor vencido, documento atrasado e para-brisas trincados nos ônibus. Um dos motoristas estava sem a carteira de habilitação, segundo a matéria d’O Popular.

A ANTT salientou que não fiscaliza os aplicativos de viagens, mas sim o cumprimento de regras específicas voltadas às viagens interestaduais por fretamento.

OUTRO LADO

A Buser enviou ao Diário do Transporte uma manifestação sobre a apreensão do ônibus em Goiânia. Confira, na íntegra:

“A Buser esclarece que não realiza o transporte de passageiros e sim a conexão entre estes e empresas transportadoras, promovendo um rateio entre os interessados na realização de uma viagem fretada, prática que além de legal, supre importante demanda social por contribuir com a mobilidade urbana, garantindo viagens mais baratas que as praticadas pelas empresas integrantes do oligopólio de transportes do país.

A startup também destaca que o estado de Goiás é o único em que a ANTT ainda descumpre a determinação judicial que permite a empresa o seu funcionamento.

Reitera também que todas as empresas parceiras cumprem as normas de segurança estabelecidas pela ANTT, além de contarem com dois motoristas para trechos com mais de 7h de duração, velocidade controlada por satélite e dupla cobertura de seguros, o que é muito mais do que o oferecido pelo setor tradicional.

A Buser considera que há uma necessidade urgente de modernização nas regras do setor, garantindo a preservação do direito à livre iniciativa e livre concorrência.”

Alexandre Pelegi, jornalista especializado em transportes

Compartilhe a reportagem nas redes sociais:

Comentários

  1. João Luís Garcia disse:

    Mais uma vez o que se vê é esse engodo chamado BUSER agindo na ilegalidade.
    Sim pois se a mesma faz a intermediação entre o usuário final ( passageiro ) e a empresa contratada ( dona do ônibus ) ela é no mínimo corresponsável ou pelo menos assim deveria ser encarado o seu papel pela Justiça desse País.
    A partir do momento que um terceiro passa a operar uma determinada linha ou trecho, essa empresa deve cumprir com todas as regras e normas, sejam elas municipais, estaduais ou federal.
    Inclusive muitos dos veículos utilizados ostentam a marca desse “ dito aplicativo “ como sua pintura.
    O usuário final preocupado apenas com o custo mais barato esquece que pode estar colocando a sua vida em perigo.

    1. Diego Queiroz disse:

      Como se nas empresas regulares esse risco não existisse. BOZÓ sendo BOZÓ.

      1. Flavio disse:

        As leis e resoluções que estão hj em vigor foram feitas no governo Lula e Dilma.

    2. Nego do borel disse:

      Acho que vc não conhece a startup, se informe melhor conheça melhor aí sim afirme algo.
      Escreve bonito de mais com suas palavras corretas porém sem fundamento nenhum.
      Se sua base pra tirar conclusões foi em cima de reportagem mentirosas aí muda a história.
      vc não tem culpa de ser inganado como muitos.

    3. Jorge disse:

      Boa noite,mas a população só pensa em se dar bem, quando ocorre algum sinistro,aparece com cara de coitado, clamando justiça, tentando culpar uma empresa que ja sinalizou que “INTERMEDIA a relação empresa
      de ônibus passageiros “! Torço que na área trabalhada por estes que falam em liberdade de escolha ,chegue um aplicativo desses dizimando a renda destes espertalhões ,ai quero ver ele defender esses modelos que praticam dumping na área de trabalho deles.

  2. Odílio Fernandes. disse:

    Os canalhas deste país que se elegem com o voto desse povo troxa que é o brasileiro ficam ditando regras nos transportes seja de cargas ou passageiros só servem para se beneficiarem com o dinheiro das multas e prejudicando a população que já vivem num merdeler danado.

    1. Olavo Leal disse:

      Concordo completamente, caro Odílio.

  3. Dorival Masse Junior disse:

    O ônibus só que alguns danos e documentos atrasado e o motorista sem CNH

  4. Olavo Leal disse:

    O Estado brasileiro deveria se intrometer menos nas coisas de transportes. Deveria haver liberdade para qualquer empresa fazer qualquer linha, com quantos horários quisesse (ou pudesse), cobrando o preço que lhe permitisse obter lucro. Caberia ao passageiro escolher o que atendesse às suas necessidades: horários, tempo de viagem, locais de parada, preço etc, etc. Nosso Estado é excessivamente controlador, “substituindo” burramente o povo, que deveria ter mais liberdade de escolha.
    Exemplo: como pode duas empresas do mesmo grupo “concorrerem” entre si, regularmente? É o que ocorre em: SP-Brasília (Real Expresso e Federal); SP-Rio (Expresso do Sul e 1001); SP-Ribeirão Preto (Cometa-RRP). Aí vem a Buser (como podem vir outras) e as pessoas se opõem?

  5. Roberto disse:

    Tem que acabar com os monopólio das empresas,dando o direito à livre concorrência desde que garante o seguro dos usuários, e o direito de viajar por qual rodovia desejada e dando o direito do usuário a livre escolha ,por que hoje o usuário é obrigado a viajar em uma empresa só porque a antt aceite apenas aquela para prestar o serviço em determinada região. Antt teria que ser apenas para fiscalizar a situação do veículo e não para ficar prendendo ônibus, deixando assim os usuários que escolheram aquele veículo para viajar puto da vida com esse órgão que serve os enteresse das grande empresas ,não deixando a pequena empresa crescer.Vamos rever isso aí presidente.

  6. Vieira disse:

    Só quem nunca utilizou que fala uma asneira dessa é um bonsai. A empresas regulares não são tão certinhas assim não o bobão.

Deixe uma resposta