Prefeito de Governador Valadares (MG) veta aumento de tarifa de ônibus para 2020

Foto: Antonio Candido / prefeitura de Governador Valadares

Passagem mantém-se em R$ 3,75 para pagamento com cartão e R$ 4,30 em dinheiro

ALEXANDRE PELEGI

Governador Valadares, cidade de Minas Gerais com 280 mil habitantes, não vai reajustar a tarifa do transporte público em 2020.

A decisão foi do Prefeito André Merlo, que vetou o aumento, se posicionando contra a proposta feita pela empresa Mobi, concessionária que presta serviços de transporte coletivo no município.

A empresa havia solicitado um reajuste de 8,6%, o que elevaria a tarifa dos atuais R$ 4,30 (pagamento em dinheiro) para R$ 4,67.

A Mobi, ao apresentar a planilha de custos, alegou que, afora a pressão dos custos operacionais na manutenção do serviço, houve uma queda do número de passageiros somada ao aumento nas despesas com salários e benefícios dos funcionários.

No comunicado da prefeitura, André Merlo explicou as razões do veto, que, segundo ele, não trarão prejuízos para a qualidade da prestação do serviço: “Fizemos de tudo para que o preço da passagem não subisse esse ano. Implantamos o corredor exclusivo para os ônibus, que torna as viagens mais rápidas; criamos a integração de linhas; exigimos medidas de modernização operacional, que usam tecnologias e aplicativos que descartam custos desnecessários. Com tudo isso, não justifica darmos o aumento pedido pela empresa Mobi. Conseguimos pressionar a planilha de custos para baixo, o que nos possibilitou manter a tarifa sem nenhum acréscimo”, garante o prefeito.

Como mostrou o Diário do Transporte, o último reajuste foi concedido no final de 2018, passando a vigorar em janeiro de 2019. Com isso, o valor da tarifa por meio de bilhetagem eletrônica (cartão) manteve-se em R$ 3,75 enquanto a do pagamento em dinheiro foi reajustada para R$ 4,30. Relembre: Governador Valadares (MG) terá reajuste na tarifa de ônibus

O comunicado da Prefeitura cita ainda que fez várias exigências importantes para a Mobi:

Renovação de 100% da frota, sendo 20% ano passado e o restante ao longos dos próximos três anos e meio;

Aumento de 5% no número de veículos para atender às principais demandas dos passageiros, de demora e lotação, especialmente nos horários de pico;

Novos ônibus com a tecnologia Euro 5, que reduz em até 80% a emissão de poluentes;

Ônibus com cinco letreiros eletrônicos para que os usuários possam identificar as linhas de qualquer ângulo de visão;

Aplicativo GV Bus, desenvolvido pela própria empresa, com informações de itinerários e horários, com funcionamento autorizado por decreto.

Novas linhas e itinerários (incluindo a linha especial para a Ibituruna), instalação de internet e ar-condicionado, e a implantação do dispositivo sonoro. São medidas que exigem estudos mais complexos, inclusive de custos, e devem ser implantadas em médio e longo prazo.

Abertura de mais postos de atendimento para compra e recarga dos cartões eletrônicos, triplicando o número já existente e facilitando a vida dos passageiros que optarem por esta modalidade de pagamento. Antes havia apenas dois postos: um na Praça dos Pioneiros e outro na empresa Mobi. Agora são nove, em locais como: Quiosque, Fadivale, Barraca do Leo, Drogaria Niquinho, Koisa Nossa do bairro Ipê, entre outros. Além disso, em 2019 as recargas foram disponibilizadas também pelo aplicativo e pelo site da empresa.

Alexandre Pelegi, jornalista especializado em transportes

Compartilhe a reportagem nas redes sociais:
Comentários

Deixe uma resposta