BNDES assina acordo de cooperação com banco público da Alemanha para estudos em Mobilidade Urbana

O embaixador brasileiro em Madri, Pompeu Andreucci, o ministro da Embaixada, Maurício Fávero, Petrônio Cançado, Barbara Schnell e o superintendente de Gestão Socioambiental do BNDES, Julio Leite. Foto: BNDES

KfW Bankengruppe é um dos bancos de fomento líderes e mais experientes do mundo e está comprometido com a melhoria sustentável das condições de vida

ALEXANDRE PELEGI

O BNDES – Banco Nacional de Desenvolvimento Econômico e Social, assinou um acordo de cooperação com o Kreditanstalt Für Wiederaufbau (KfW), um dos bancos de fomento líderes e mais experientes do mundo comprometido com a melhoria sustentável das condições de vida, com foco nos âmbitos econômico, social e ambiental.

O Extrato do contrato, assinado em 12 de dezembro de 2019, foi publicado no Diário Oficial da União (DOU) desta terça-feira, 07 de janeiro de 2020.  O documento foi firmado em Madri durante a Conferência das Nações Unidas sobre as Mudanças Climáticas de 2019 (COP25).

Fundado em 1948 como instituição pública, o KfW pertence hoje à República Federal da Alemanha (80%) e aos estados federados (20%), sendo um dos maiores bancos alemães. Ele capta os recursos para suas atividades de fomento quase exclusivamente nos mercados de capitais internacionais.

As duas instituições já são parceiras há alguns anos.

No contrato firmado agora entre as duas instituições públicas dos dois países, o objetivo é “cooperar de forma não exclusiva para a realização de estudos prévios em Mobilidade Urbana, definindo a visão comum das Partes e o processo de desenvolvimento de uma carteira de projetos conforme um plano de trabalho a ser elaborado, bem como contribuindo para a implementação de sistemas de mobilidade urbana sustentáveis no Brasil”.

Ainda segundo a publicação no DOU, tais estudos visam a estabelecer referências do setor, com as seguintes características: (i) a promoção da inclusão social; (ii) a redução de emissões de CO2 e poluentes atmosféricos locais; (iii) a contribuição para a integração de soluções multimodais; (iv) a promoção de tecnologias inovadoras; e (v) a promoção dos benefícios à saúde decorrentes do uso de tecnologias limpas de transporte.

Após a conclusão dos estudos preliminares e a confirmação das propostas consideradas viáveis, o BNDES financiará, com recursos reembolsáveis, a execução dos serviços técnicos necessários para a estruturação dos projetos.

PARCERIAS

Em agosto de 2015, por exemplo, o BNDES assinou contrato de financiamento com o KfW no valor de 265 milhões de euros (cerca de R$ 1,2 bilhão atualmente). Os recursos foram destinados a sistemas de transporte público eficientes e sustentáveis em áreas metropolitanas brasileiras, executados por empresas nacionais.

Em 2017, o Banco brasileiro assinou nova captação de recursos externos no valor de US$ 141,72 milhões com o banco de desenvolvimento alemão KfW. A operação foi realizada para contribuir para a mitigação das mudanças climáticas através do apoio a projetos envolvendo eficiência energética e energias renováveis (solar, eólica, pequenas centrais hidrelétricas, bioenergia usando resíduos, iluminação pública e cogeração na indústria).

bndes_KfW

Alexandre Pelegi, jornalista especializado em transportes

Compartilhe a reportagem nas redes sociais:
Comentários

Deixe uma resposta