Memórias recentes do transporte coletivo

Publicado em: 5 de janeiro de 2020

Momento de transição entre Expresso Brasileiro e Cometa nas linhas do Litoral e Interior paulistas

Fotos dos últimos dez anos no ABC mostram que o setor é dinâmico e num período relativamente curto registrou mudanças significativas para o bem e para o mal

ADAMO BAZANI

O setor de transportes coletivos está juntamente com a sociedade, a política e a economia em constante transformação, seja para melhor ou para pior.

Na verdade, estas mudanças influenciam o transporte bem como o transporte também é agente ativo nestas transformações.

E cada vez mais o ritmo e a intensidade das alterações são maiores.

Revendo imagens que foram produzidas pela reportagem de ônibus do ABC Paulista, uma das regiões mais relevantes do País economicamente e socialmente, foi possível ver que desde 2009 muita coisa mudou e os ônibus fotografados contam muita história, mesmo com o período sendo curto.

Neste “passeio breve” pela linha do tempo, pode-se conferir modelos que não existem mais, porém eram referências em suas épocas. A busca pela tecnologia limpa, como as experiências com o primeiro ônibus a hidrogênio do Corredor ABD, o híbrido da Viação ABC, que passou também pela SBCTrans (municipal de São Bernardo do Campo) e Metra. Na área de integração entre modais, uma imagem rara, como de um ônibus da Metra, no Corredor ABD, testando um suporte para bicicletas, que não foi aprovado.

Há também empresas históricas da região que, devido a crises, problemas de sucessão familiar e mudança do perfil econômico do ABC, que deixou de ser predominantemente industrial, desapareceram, como a Planetatur.

Fatos políticos, nem sempre positivos, também são contatos na história recente dos transportes do ABC, como os gastos desnecessários com mudança de pintura da frota de Santo André, em 2009, quando o então prefeito Aidan Ravin queria apagar as marcas dos rivais políticos; ou da Leblon Transporte de Passageiros, empresa do Paraná que foi sumariamente retirada do sistema de Mauá por um polêmico e controverso processo de descredenciamento que não foi consenso nem na prefeitura sob comando do então prefeito Donisete Braga e o então secretário de mobilidade Paulo Eugênio, com fortes indícios de atenderem à pressão de empresários de ônibus que já atuavam na região.

Há também memórias de curiosidade, como os ônibus que são modelo de motor traseiro, mas foram acoplados em chassis de motor dianteiro, uma improvisação das empresas do grupo de Baltazar José de Sousa, que também tentou operar com biarticulado em Mauá.

Passeie conosco.

Busscar Urbanuss Pluss, Volkswagen 17.230, Natalino da Leblon de Mauá, em 24 de dezembro de 2010.

Marcopolo Torino, Volkswagen 17.210, da Viação Imigrantes, municipal de Diadema, em 19 de dezembro de 2010.

Irizar Century, Scania K 310, da Vale do Tietê no TERSA – Terminal Rodoviário de Santo André – na Avenida Industrial, bairro Campestre, em Santo André – SP, em 02 de novembro de 2010

Marcopolo Viale, Volvo B 12 M, totalmente eletrônico, fotografado neste domingo, dia 17 de outubro de 2010, na BR 116, município de Quatro Barras. Foi o primeiro ônibus a chegar a Mauá. O modelo era inédito até então.

Frota inicial da Leblon em Mauá: Micro-ônibus Marcopolo Senior, Volkswagen/MAN 9 – 150, Marcopolo Senior Midi, Volkswagen/MAN 15 – 190, Marcopolo Torino, Volkswagen 17-230 e o poderoso e inédito Marcopolo Viale, Volvo B 12 M. Foto de 19 de outubro de 2010. Empresa do Paraná foi sumariamente retirada do sistema de Mauá por um polêmico e controverso processo de descredenciamento que não foi consenso nem na prefeitura sob comando do então prefeito Donisete Braga e o então secretário de mobilidade Paulo Eugênio, com fortes indícios de atenderem à pressão de empresários de ônibus que já atuavam na região.

JumBuss 340, Volvo B 58, da Turismo Gracimar, na Avenida Pereira Barreto, bairro Paraíso em Santo André/SP. Ônibus relativamente antigo, mas em muito bom estado na época para o tempo de operação. Foto 11 de outubro de 2010.

Ciferal Padron Cidade II, Mercedes-Benz OF 1721 (Euro III), da Viação Imigrantes, em linha intermunicipal da EMTU. Foto: 29 de agosto de 2010.

Comil Svelto, Mercedes-Benz OF 1417 (Euro III), da Viação Januária, em linha municipal de Mauá.

Marcopolo Viale, Mercedes-Benz OH 1628L, da Metra, do Corredor ABD.

Caio Vitória, Mercedes-Benz OF 1315, da Expresso SBC, com pintura antes do padrão EMTU, foto de 08 de julho de 2010.

Comil Svelto, Mercedes-Benz OF 1418, da Viação Vaz, em alusão à Copa do Mundo, foto de 07 de junho de 2010

Comil Condottiere, Mercedes-Benz O 371 RS, da Village Transportes Turísticos Ltda, no estacionamento do Parque Central de Santo André, no bairro Paraíso.

Em 30 de dezembro de 2012, Marcopolo Paradiso 1200, Mercedes Benz O 400 RSE, da Expresso Brasileiro Viação Ltda, já a Serviço da Viação Cometa, ao lado de ônibus do mesmo modelo, na Avenida Pereira Barreto, no Bairro Paraíso, em Santo André -SP. Em dezembro de 2009, as linhas e os carros que servem o ABC, Capital, Mogi e Região até o Litoral Sul Paulista foram comprados pela Cometa .

Busscar El Buss 340 da Diadema Transportes, em 25 de maio de 2011.

Caio Millennium II Scania K 270 , da Metra, com teste de suporte de bicicleta no Corredor ABD, foto de 14 de junho de 2010.

Monobloco Mercedes-Benz O 371, da Planetatur, na linha de fretamento O 5 para o laboratório EMS e Sigma Pharma, na Avenida Pereira Barreto com a Rua Ibiapava, no bairro Paraíso, em Santo André/SP. Ao fundo, Caio Vitória Volvo B 58, da Metra (Sistema Metropolitano de Transporte Ltda) no corredor Metropolitano São Mateus/Jabaquara, via Santo André, São Bernardo do Campo, Diadema, com extensão parta a Berrini (zona Sul de São Paulo) e Mauá (ABC Paulista). Foto de 24 de maio de 2010.

Caio Giro 3400, Volkswagen 17.260 EOT, com a pintura mais antiga da JSL – Júlio Simões Logística, fazendo fretamento para a empresa Bombril, trafegando pela Avenida Brasília, Vila Linda – Santo André/SP. Foto de 29 de dezembro de 2009.

Marcopolo Torino Mercedes Benz da TCPN – Transportes Coletivos Parque das Nações, de Santo André / SP, carro 80 com pintura anterior à padronização da EMTU. Detalhe para o letreiro de lona com a marca da Caio, apesar de ser um modelo Marcopolo. Foto de 17 de agosto de 2008

Caio Alpha G Bi-Articulado (Papa Fila), Volvo B10 M da Viação Januária, em Mauá. Veículo não chegou a ter operações comerciais na cidade. Foto de 07 de junho de 2009.

Caio Millenniun I, Volkswagen 16.210 CO, adaptado, um dos únicos carros no Brasil com essa característica, com motor dianteiro, da Viação Barão de Mauá, em Mauá / SP – Foto de 28 de junho de 2009

Caio Vip I, Mercedes-Benz OH 1621 LE, da Expresso Guarará, na Avenida Queirós dos Santos, em Santo André. Foto de 22 de junho de 2009.

Caio Millenniun II 17.230 articulado (adaptado) da Viação São Camilo, em Santo André / SP. Veículo não foi aprovado pela EMTU e foi transferido para o transporte municipal de Mauá. Foto de 13 de junho de 2009.

Marcopolo Viaggio G4, Volvo B 58, da Sussantur. Foto de 05 de maio de 2009.

Monobloco Mercedes-Benz O371 R, pintura mais antiga da Gracimar, em Santo André/SP. Foto de 03 de maio de 2009.

Caio Millennium I, Mercedes-Benz OH 1621 L, da Viação ABC. Foto de 07 de fevereiro de 2009

Caio Millennium II, Híbrido Eletra, da Viação ABC. Foto de 21 de março de 2009

Nielson Diplomata 350 O371 RS da Fretamento Maracá, de Santo André/SP. Foto de 23 de março de 2009.

Primeiro ônibus Híbrido-Hidrogênio da América Latina, lançado no dia 01º de julho de 2009 em São Bernardo do Campo / SP, pela EMTU. Projeto custou 31 milhões de reais. A alimentação híbrida entre um gerador de células de hidrogênio e uma bateria elétrica, economizam o combustível e a energia do ônibus. Foto de 01º de julho de 2009

Apresentação de 11 carros novos da EXPRESSO GUARARÁ: Caio Apache Vip II Volkswagen 17-230 e Caio Foz Volkswagen 9-150. Foto de 04 de setembro de 2009.

O prefeito de Santo André, Aidan Ravin, do PTB, ordenou que todos os ônibus municipais de Santo André fossem pintados com um novo padrão, com as cores das bandeiras. Além disso, para apagar as marcas do PT, ele mudou o nome da gerenciadora de EPT (Empresa Pública de Transportes) para SATrans (Santo André Transportes). Mas isso foi feito há menos de nove meses de o antigo prefeito, João Avamileno do PT, ter determinado a pintura de ônibus no padrão dele. Acontece que com tantas trocas, as empresas não tiveram tempo de pintar toda a frota e ainda tem carro rodando no padrão de Celso Daniel de 1997 (todo azul). Mas para apagar a marca EPT, esses carros simplesmente estão com um remendo de pintura na lataria, encobrindo a sigla EPT, deixando todo o carro azul. Marcopolo Torino, Mercedes-Benz OF 1722 M, da Viação Curuçá. Foto de 11 de setembro de 2009.

Observações.

As fotos não obedecem a uma hierarquia ou mesmo ordem cronológica

O carimbo nas imagens tem sido necessário, infelizmente, apesar de tirar um pouco a beleza da foto. Algumas pessoas não respeitam os créditos nos cantos, recortam as fotos e compartilham só as imagens, sem contexto nenhum. Uma pena.

As legendas são correspondentes à época.

Adamo Bazani, jornalista especializado em transportes

Compartilhe a reportagem nas redes sociais:

Deixe uma resposta