Prefeitura do Rio de Janeiro divulga preços das tarifas de táxis para 2020

Reajuste já está em vigor. Foto: divulgação.

Valores foram publicados em Diário Oficial

JESSICA MARQUES

A Prefeitura do Rio de Janeiro divulgou nesta quinta-feira, 02 de janeiro de 2019, os preços das tarifas de táxi para 2020. O valor inicial da corrida teve um aumento de 20 centavos e ficou em R$ 6.

O reajuste entrou em vigor a partir da meia-noite de 1º de janeiro. A mudança foi autorizada por meio de uma resolução da SMTR (Secretaria Municipal de Transportes).

Agora, a bandeira 1, referente ao período das 6h às 21h de segunda-feira a sábado, passou de R$ 2,60 para R$ 2,65. Por sua vez, a bandeira 2, que inclui o período noturno, domingos e feriados, além de subidas íngremes, foi de R$ 3,12 para R$ 3,18.

Por fim, a tarifa de hora parada ou de espera foi fixada em R$ 33,39, e a de volume transportado, ficou em R$ 2,65, conforme publicação do Diário Oficial.

No caso do táxi executivo, a bandeirada continua R$ 7,30 e a tarifa de volume transportado segue a mesma do convencional. Entretanto, a tarifa quilométrica foi para R$ 4,70, enquanto a de hora parada ou de espera, foi a R$ 59,22. O valor da tarifa da tabela horária à disposição do passageiro foi de R$ 130 a R$ 135.

Confira a publicação com os valores, na íntegra:

rio_de_janeiro_2020-01-02_completo_pages-to-jpg-0044.jpg

rio_de_janeiro_2020-01-02_completo_pages-to-jpg-0044-1.jpg

rio_de_janeiro_2020-01-02_completo_pages-to-jpg-0045.jpg

rio_de_janeiro_2020-01-02_completo_pages-to-jpg-0045-1.jpg

AUTONOMIAS

Além disso, o prefeito do Rio de Janeiro, Marcelo Crivella, entregou nesta quinta-feira, 02 de janeiro, autonomias a mais 80 motoristas de táxi auxiliares.

Com isso, chegou a 2.430 autorizações distribuídas em seu governo, um recorde em comparação com os quatro anos da gestão anterior, em que foram apenas 589.

A autonomia representa para o taxista o fim do pagamento de diárias e a possibilidade de melhorar a renda familiar, segundo a Prefeitura.

“Os beneficiados são auxiliares (homens e mulheres) com maior tempo de serviço como taxista. Segundo estabelecido em decreto, do total de 80 autonomias entregues, 10% são reservadas a motoristas com deficiência, em obediência à Lei Federal 13.149. Outros 10% são para mulheres e mais 10% a motoristas que tenham pessoas com deficiência como dependentes econômicos, conforme determinado pelo prefeito Marcelo Crivella, no decreto 44.372, de 27 de março de 2018”, informou a Prefeitura, em nota.

A cidade do Rio de Janeiro tem, atualmente, cerca de 31 mil permissionários e 20 mil auxiliares de táxi.

Jessica Marques para o Diário do Transporte

 

Compartilhe a reportagem nas redes sociais:
Comentários

Comentários

Deixe uma resposta