Curitiba receberá verba do Avançar Cidades para projeto executivo do novo terminal Capão da Imbuia

Publicado em: 6 de dezembro de 2019

Projeto da maquete do novo Terminal Capão da Imbuia. Foto: Urbs-Curitiba

Prefeitura da capital paranaense teve duas propostas selecionadas no programa Pró-Transporte no valor total de R$ 1,6 milhão

ALEXANDRE PELEGI

A prefeitura de Curitiba teve dois projetos selecionados no âmbito do Programa Avançar Cidades – Mobilidade Urbana (Grupo 02).

No valor total de R$ 1,6 milhão, as duas propostas pedem recursos para a elaboração de projetos executivos de obras na capital paranaense.

O maior valor (R$1.088.158,71) será destinado para elaboração de Projeto Executivo para a construção do novo terminal Capão da Imbuia, além da requalificação da rua Francisco Mota Machado e outras.

O menor valor (R$ 565.688,15) será usado para a elaboração também de projeto executivo voltado à construção de uma interseção em desnível no cruzamento das vias Av. Pref. Lothário Meissner, rua Alberto Twardowski e rua Eng. Ostoja Roguski.

NOVO TERMINAL CAPÃO DA IMBUIA

Desde 2018 a prefeitura de Curitiba busca recursos para a construção do novo terminal de ônibus no Capão da Imbuia, no bairro Cajuru. Isso porque o atual já não suporta atender os 39 mil passageiros por mês, número que deverá aumentar quando a cidade implantar o Ligeirão Leste/Oeste, que ligará este terminal, na região Leste, à Praça Rui Barbosa, no Centro.

A previsão de custo na época para desenvolvimento do projeto era de R$ 800 mil. A construção está estimada em R$ 30 milhões, R$ 20 milhões para a obra e R$ 10 milhões para desapropriações.

A proposta da prefeitura é construir o novo terminal Capão da Imbuia próximo ao atual, em operação desde 1982. A proposta inicial previa três plataformas, duas voltadas aos ônibus biarticulados e às Linhas Diretas, e uma para as linhas alimentadoras.

Informações da Ubrs – Curitiba, que gerencia o transporte coletivo da capital, o novo terminal terá monitoramento por câmeras de segurança, sanitários, guarda-volumes, ligação subterrânea entre as plataformas e bicicletário para mais de 100 bicicletas.

Além do futuro Ligeirão Leste-Oeste, o novo terminal Capão da Imbuia integrará com as linhas Centenário/Campo Comprido, Pinhais/Rui Barbosa, ligeirinho Inter 2 (cerca de 90 mil passageiros/dia), Interbairros II (mais de 40 mil passageiros/dia).

Ainda segundo a Urbs, este novo terminal deve integrar o novo sistema trinário de vias no Eixo Leste, composto pela Avenida Presidente Affonso Camargo ao centro, e pela Avenida Prefeito Maurício Fruet (sentido bairro) e a Rua Francisco Mota Machado (bairro-centro). Esta última também terá seu projeto executivo de requalificação realizado com a verba do Avançar-Cidades.

curitiba_Protransporte_.jpg

COMO FUNCIONA

Os recursos disponibilizados para o Programa Avançar Cidades – Mobilidade Urbana são de financiamento, oriundos do Fundo de Garantia por Tempo de Serviço (FGTS), conforme previsto no Programa de Infraestrutura de Transporte e da Mobilidade Urbana (Pró-Transporte).

A taxa nominal de juros das operações de empréstimo do Pró-Transporte é de 6% ao ano, podendo ser acrescida taxa diferencial de até 2% e taxa de risco de crédito de 1%. O prazo para pagamento é de até 20 anos.

Após a seleção final pelo Ministério do Desenvolvimento Regional, os municípios têm até um ano para formalizar a contratação da proposta com o agente financeiro. Os proponentes poderão acessar o financiamento em diversas instituições financeiras habilitadas no Programa Pró-Transporte.

Alexandre Pelegi, jornalista especializado em transportes

Compartilhe a reportagem nas redes sociais:

Deixe uma resposta