Metra recebe entusiastas de transportes no programa “Garagem Aberta”

Publicado em: 3 de dezembro de 2019

Garagem Aberta de 2019 deixou as pessoas mais próximas do dia a dia da Metra e também da bilhetagem eletrônica da Grande São Paulo

Na edição de 2019, em parceria com a Autopass, houve novidades, prêmios e surpresas para fãs e incentivadores da mobilidade urbana

ADAMO BAZANI

O trabalho de uma empresa de ônibus começa muito antes de os coletivos entrarem em circulação.

A maioria das pessoas talvez não possa ter noção da quantidade de profissionais e procedimentos necessários para que os serviços de transportes sejam prestados adequadamente.

São mecânicos, borracheiros, eletricistas, pessoal da limpeza, das áreas administrativas, do planejamento, monitoramento e tantos outros que trabalham praticamente no anonimato e que não são vistos pelos passageiros. Tudo nas garagens deve funcionar em perfeita harmonia para que aí sim, os ônibus estejam em operação.

Algumas empresas têm mostrado esta rotina para a população e também dado maior abertura para fãs de mobilidade, entusiastas de transportes, colecionadores e busólogos.

É o caso da Metra, que opera ônibus e trólebus no corredor metropolitano que liga as zonas leste e sul da cidade de São Paulo por municípios do ABC Paulista.

A empresa realizou nos dias 29 de novembro e nesta terça-feira, 03 de dezembro, mais uma edição do programa “Garagem Aberta”, que neste ano teve novidades em relação às edições anteriores.

O Diário do Transporte acompanhou a visita que ocorreu neste dia 03.

Cada participante tirou uma foto que depois foi estampada em uma caneca personalizada, lembrança da visita.

Além de poderem conhecer um pouco mais sobre a rotina da empresa, que atua desde maio de 1997, sendo a primeira concessão de transporte público do Estado de São, os participantes também souberam como funciona a bilhetagem eletrônica na Grande São Paulo.

Isso porque o “Garagem Aberta 2019” foi uma parceria entre a Metra e a Autopass, empresa responsável pela gestão e operação do cartão BOM, usado nos ônibus gerenciados pela EMTU – Empresa Metropolitana de Transportes Urbanos, no Metrô e na CPTM – Companhia Paulista de Trens Metropolitanos. A Autopass também disponibiliza o aplicativo VouD, que integra diferentes meios de deslocamentos.

Durante a apresentação do vídeo institucional da Metra, os participantes souberam de alguns números da empresa, como a frota atual de 280 ônibus, dos quais cerca de cem veículos são de tecnologia não poluente, como os 85 trólebus e as 15 unidades entre híbridos (com dois motores cada, um à combustão e outro elétrico), elétricos com bateria e Dual (tecnologias diferentes reunidas em um só veículo com tração elétrica). Também souberam que o programa Corredor Verde, que consiste no plantio de árvores ao longo do corredor para ampliar os benefícios ambientais do transporte público, alcançou o número de 11 mil mudas desde 2008.

Quanto ao cartão BOM, os entusiastas tiveram a oportunidade de saber um pouco mais sobre a grandiosidade da bilhetagem eletrônica da Grande São Paulo. Atualmente são cerca de 10 milhões de cartões válidos, 6,5 milhões de CPFs de usuários cadastrados, quatro milhões de transações por dia (uso nas catracas), 680 milhões de viagens pagas com Cartão BOM por ano e, para se ter uma ideia, a cada minuto, há duas mil utilizações do bilhete.

A Metra e a Autopass criaram um concurso cultural chamado “Vamos juntos de ônibus?” destinado aos participantes do “Garagem Aberta 2019” que vai sortear R$ 500 em créditos no cartão BOM para quem postar uma foto com a legenda mais criativa nas redes sociais com as palavras mobilidade, coletivo e experiência. Quem ficar em segundo ou terceiro lugares ganha, cada um, R$ 300 em créditos. O objetivo é disseminar o estímulo para o uso do transporte público.

Ao final das apresentações foi aberto espaço para perguntas e, pelo nível das questões, foi possível perceber que os participantes se interessam e acompanham o dia a dia da mobilidade.

Além de conhecimento de transportes, também era notória a paixão pelo setor, em muitos casos desde bem cedo.

O menino Kelvin Gabriel, ao lado do pai, Alexandre: sonho de ser empresário de ônibus

É o caso de Kelvin Gabriel, de 9 anos de idade, que foi acompanhado pelo pai, Alexandre Roberto da Silva, que é motorista de ônibus.

“É incrível. Estou adorando conhecer a garagem. Eu vou querer ser igual a meu pai, dirigir ônibus, e depois ter minha empresa, a ‘Alexandre & Biel”, que são os nomes do meu pai e o meu” – disse o garoto entusiasmado e interessado em tudo que era explicado. Kelvin Gabriel fez até pergunta ao final das apresentações: “Quantos ônibus a Metra tem?” – queria saber.

Além de poderem entender um pouco mais do dia a dia dos transportes e tirarem fotos dos veículos na garagem, os visitantes também participaram de sorteios e ganharam brindes.

Foram sorteados convites para o churrasco de confraternização de fim de ano da Metra e vagas no passeio natalino com o ônibus que vai ser decorado pela empresa. O veículo, que receberá iluminação especial, além de fazer as linhas do corredor, irá neste passeio até à árvore do Parque do Ibirapuera, na zona Sul da cidade de São Paulo.

Todos os participantes ganharam uma caneca personalizada com suas fotos na frente de um ônibus da empresa, o executivo MetrClass, e bonés do evento.

Outro presente especial foi um exemplar do livro “Metra, Vidas e Desenvolvimento”, que conta a história não apenas da empresa, mas de como transportes, desde a época da São Paulo Railway, que implantou a ferrovia Santos – Jundiaí, até o Corredor ABD, foram fundamentais para o desenvolvimento econômico e social da Região Metropolitana de São Paulo.

Ao final do encontro, todo o pessoal foi levado para a unidade do Habbi’s da Avenida Pereira Barreto, em Santo André, onde foi oferecido um almoço.

“Para a Metra é muito importante esta interação com o público em geral e com os fãs de transportes, que aprendem muita coisa sobre o setor e, nós também aprendemos muito com eles. É uma relação entre prestador de serviço e cliente na qual todos ganham” – disse ao Diário do Transporte, o coordenador de comunicação da Metra, Thiago Terci.

Adamo Bazani, jornalista especializado em transportes

Compartilhe a reportagem nas redes sociais:

Comentários

  1. Lembro que como gostava de caminhar, me desafiei saindo de S. Mateus, seguindo pela via segregada(Adélia Chohfi> Oratório> Antonio Cardoso>Viaduto Del´Antonia> Ramiro Colleoni> Pereira Barreto>Paço> Lucas Nogueira Garcês> Piraporinha> Fabio Eduardo Ramos Esquível> Centro Diadema-terminal subindo a Assembléia na Cibié, pegar minha gata, que lá trabalhava..(tempo das 13:00 as 17:10). Noutra vez foi do Paço SBC até Habib´s da Cupecê…entre 20:00 e 23:50…muito bom,,a caminhada.

Deixe uma resposta