Agepan suspende operações da Viação São Luiz e autoriza atendimento por duas empresas

Publicado em: 2 de dezembro de 2019

Trabalhadores da empresa paralisaram atividades na manhã desta segunda-feira. Foto: Rafael Caldas / Ônibus Brasil.

Suspensão temporária abrange quatro linhas, que serão provisoriamente executadas pela Viatur e Expresso Itamaraty

 JESSICA MARQUES

A Agepan (Agência Estadual de Regulação de Serviços Públicos), de Campo Grande, no Mato Grosso do Sul, determinou a suspensão temporária das operações da Viação São Luiz em quatro linhas intermunicipais e autorizou outras duas transportadoras a executarem o serviço para garantir o atendimento aos passageiros.

A empresa foi notificada da suspensão nesta segunda-feira, 02 de dezembro de 2019, conforme informado pela Agepan. A medida, inicialmente, é válida até o dia 10 de dezembro.

As operações da São Luiz foram suspensas nas linhas 030, Três Lagoas – Campo Grande; 057, Três Lagoas – Costa Rica; 089, Campo Grande – Aparecida do Taboado; e 146, Costa Rica – Campo Grande (via Chapadão do Sul). A primeira será executada pela Viatur. As demais, pela Expresso Itamaraty.

As substitutas já estão autorizadas a operar a partir de hoje e orientadas a aceitar os bilhetes adquiridos anteriormente, ainda de acordo com informações da Agepan. 

“Conforme a notificação expedida pela Agência Reguladora, a suspensão leva em conta a necessidade de garantia aos usuários do transporte rodoviário intermunicipal de um serviço com pontualidade e em condições de segurança, higiene e conforto, do início ao término da viagem”, informou a agência, em nota.

“A empresa, comprovadamente, não tem executado os serviços em conformidade com os padrões e programas operacionais estabelecidos, como apontam dois processos administrativos instaurados em 2018 e 2019 para monitoramento e fiscalização. No período de suspensão, serão reavaliadas as condições operacionais da transportadora.”

PARALISAÇÃO

Segundo informações da mídia local, cerca de 200 funcionários da empresa estão com salários atrasados. O pagamento deveria ter sido feito em 30 de novembro, segundo a publicação.

Por esse motivo, os trabalhadores paralisaram as atividades desde 5h desta segunda-feira, em Campo Grande. O presidente do sindicato da categoria na capital, Samir José da Silva, disse ao portal Correio News que a empresa afirma estar negociando com o banco o valor necessário para quitar o que deve aos funcionários, estimado em R$ 6,5 milhões.

Jessica Marques para o Diário do Transporte

Deixe uma resposta