Cidades alemãs testam transporte público gratuito para reduzir poluição

Publicado em: 1 de dezembro de 2019

Em agosto deste ano, a operadora de transporte de Hannover, Üstra, assinou contrato para a entrega de até 30 ônibus Mercedes eCitaro de 12 metros e 18 ônibus elétricos articulados. Os primeiros veículos começam a circular no começo de 2020.

Diversos municípios promovem ação neste sábado, 30, para incentivar mudança de comportamento

ALEXANDRE PELEGI

A Alemanha surpreendeu os países vizinhos no início do ano passado ao anunciar uma proposta radical para reduzir o tráfego nas cidades: tornar o transporte público gratuito.

A novidade que deixou muita gente incrédula se deu enquanto Berlim, a capital do país, lutava para cumprir as metas de poluição do ar determinadas pela União Europeia e desta forma evitar pesadas multas.

Estamos considerando o transporte público gratuito para reduzir o número de carros particulares“, escreveram na ocasião três ministros, incluindo a ministra do Meio Ambiente, Barbara Hendricks, ao comissário ambiental da UE, Karmenu Vella.

Combater efetivamente a poluição do ar sem mais atrasos desnecessários é da mais alta prioridade para a Alemanha“, acrescentaram os ministros, que prometeram que a proposta seria testada até o final daquele ano em cinco cidades do oeste da Alemanha.

Neste sábado, 30 de novembro de 2019, a experiência se concretizou em diversas cidades do país, incluindo Hannover, Münster e Karlsruhe.

O objetivo, como já anunciado em 2018, é incentivar os moradores a deixarem o carro em casa e utilizarem ônibus, metrôs e bondes.

Dados do ano passado mostravam que a poluição “com risco de vida” afetava mais de 130 cidades da Europa, segundo a comissão da UE, causando cerca de 400.000 mortes e custando € 20 bilhões em euros em gastos com saúde por ano no bloco cerca de R$ 93,4 bilhões.

O diretor da empresa Üstra de transporte público de Hannover, Volkhardt Klöppner, declarou às agências internacionais que para levar a proteção do clima a sério e alcançar uma mudança no trânsito “é necessário também ter coragem para experimentar“.

Hannover, no noroeste da Alemanha, colocou mais ônibus e trens para evitar a superlotação, além oferecer mais horários de partida em algumas linhas e trechos do centro foram bloqueados para o trânsito de carros.

Se o teste é revolucionário, o custo é extraordinário: o dia de experimento custará em torno de 600 mil euros, mais de 2,8 milhões de reais para os cofres da cidade.

Para Ulf-Birger Franz, chefe do departamento de transportes de Hannover, o objetivo é enfrentar tudo que já foi dado como desculpa para não se usar o transporte público.

A experiência foi avaliada e medida. A ação, segundo Ulf-Birger Franz, pretende observar como os cidadãos reagem a esse tipo de oferta e, além disso, verificar se aqueles que não usam o transporte público estariam dispostos a mudar seu comportamento.

Nas cidades de Münster e Karlsruhe, a experiência vai se repetir em todos os próximos sábados até o Natal.

Alexandre Pelegi, jornalista especializado em transportes

Compartilhe a reportagem nas redes sociais:

Deixe uma resposta