Pesquisa do Procon mostra que passageiro aprova Metrô e reprova CPTM

Publicado em: 27 de novembro de 2019

Superlotação é a maior crítica tanto para Metrô como para CPTM

Segundo os dados, 60% dos usuários do metrô avaliam como bons e ótimos os serviços prestados e 65% dos passageiros da CPTM classificam os serviços como regulares ou péssimos

ADAMO BAZANI

O Núcleo de Inteligência e Pesquisas da Escola Paulista de Defesa do Consumidor do Procon de São Paulo divulgou nesta quarta-feira, 27 de novembro de 2019, o resultado de uma pesquisa com 902 usuários do Metrô e ou da CPTM – Companhia Paulista de Trens Metropolitanos sobre as impressões em relação aos serviços prestados.

O levantamento ocorreu entre os dias 02 e 06 de setembro de 2019 nos postos dos Poupatempos Sé, Itaquera e Santo Amaro.

Segundo a Fundação Procon, 60% dos entrevistados que usam o Metrô avaliaram os serviços como bons (48%) ou ótimos (12%). Para 31% dos passageiros ouvidos, os serviços são regulares e, 9%, o consideram péssimos.

Já as impressões sobre a CPTM são opostas aos resultados do Metrô. De acordo com a pesquisa, 65% dos passageiros que utilizam os trens, classificam os serviços como regulares (45%) ou péssimos (20%). Apenas 4% avaliam como ótimos e, 31% como bons.

Dos 902 passageiros entrevistados, 843 utilizam apenas metrô ou ambos (metrô e CPTM) e 458 utilizam apenas a CPTM ou ambos (metrô e CPTM).

METRÔ

Apesar da boa avaliação do Metrô, dos 727 passageiros que apontaram a existência de problemas no meio de transporte, a grande maioria (590) classificou a superlotação como o item mais grave nos serviços, seguido de atrasos (260), falta de segurança (95), manutenção dos trens (falta ou realizada nos finais de semana) (75) e ambulantes, cantores e pedintes dentro dos vagões (72).

CPTM:

Entre as 427 pessoas que apontaram problemas na CPTM, a grande maioria também classifica a superlotação a questão que mais desagrada os passageiros: 378 entrevistados.

Os outros problemas mais indicados pelos passageiros na CPTM são: atrasos (220), manutenção dos trens (falta ou realizada nos finais de semana) (67), falta de segurança (57) e ambulantes, cantores e pedintes dentro dos vagões (42).

AMBULANTES:

Apesar de os ambulantes dentro dos carros (vagões) estarem entre as principais queixas dos passageiros, a opinião é dividida quando o Procon perguntou especificamente sobre o tema.

Para os 902 entrevistados que se disseram usuários do metrô e/ou CPTM, 404 (44,79%) afirmaram que se incomodam com os ambulantes, cantores e pedintes e 498 (55,21%) afirmaram não se incomodar.

Entre os entrevistados, 486 (53,88%) disseram que nunca compraram produtos dos ambulantes nos carros ferroviários (vagões) e 416 (46,12%) falaram que já realizaram alguma compra.

ASSÉDIO:

O Procon questionou todos os usuários se já foram assediados sexualmente no trajeto do Metrô e/ou CPTM Segundo a fundação, a maioria informou que não, 89,58% (808), mas um percentual significativo declarou que sim, 10,42% (94).

Veja o relatório completo da pesquisa:

Adamo Bazani, jornalista especializado em transportes

Compartilhe a reportagem nas redes sociais:

Comentários

  1. Alfredo disse:

    Ambulantes são um grande incômodo e é preciso mais fiscalização, com PM da operação delegada, pois os infratores sempre reagem de maneira violenta quando são abordados, o desemprego não pode ser desculpa para a bagunça que fazem nos transportes

    1. Ila amigo, o Sebrae a CPTM e o Alexandre Baldy secret, do metropolitano querem criar serviços para eles dentro do trem,,é o que entendi, mas de forma legalizada…..acho tremendo erro.

    2. É fato, quem usa Metrô acha muito mais eficiente, e que os trens são ruins e nem ha comparação. Ao mesmo tempo pensam que metrô é elite, e trem povão.. Mas estes mal sabem que cada modal tem seu estilo, forma de transportar,,,,,um amigo meu é assim, fala mal da CPTM, é lento, já que ele usa só metrô. Eu, mesmo nada tenho a reclamar já que faço parte dos trens ha 55 anos…e sei bem o que este modal. Aliás utilizei da Lapa até o Brás, foi eficiente, sem lotação e tudo organizado, sem empurra-empurra, entre 19:10 e 20:00 na quarta (27)

  2. Rodrigo Zika! disse:

    Pesquisa estranha, dos ambulantes e do deslocamento o mais importante ta muito abaixo, pesquisa que não foi feita em quem vem da periferia todos os dias trabalha no centro de transporte sobre trilhos, isso esta bem óbvio.

Deixe uma resposta