Exportações recuam, mas Marcopolo mantém crescimento no ano

Publicado em: 5 de novembro de 2019

O segmento de urbanos do Grupo Marcopolo teve destaque no mercado de São Paulo. Foto: Divulgação

Unidade de negócios Volare registrou crescimento de 11,1%, com 2.026 veículos fabricados contra 1.824 no ano anterior

ALEXANDRE PELEGI

A Marcopolo S.A. distribuiu comunicado ao mercado nesta terça-feira, 05 de novembro de 2019, divulgando os resultados do grupo nos primeiros 9 meses do ano.

Pelos resultados apresentados, a fabricante manteve a trajetória de crescimento até aqui, registrando receita líquida consolidada de R$ 3,121 bilhões. Esse resultado representa crescimento de 5,5% em relação ao mesmo período do ano anterior, quando o Grupo acusou receita de R$ 2,957 bilhões.

Como vetores para o aumento da receita no período atuaram as vendas para o mercado brasileiro, com 16,9% de crescimento, e os negócios no exterior. As exportações, mesmo com recuo de 22,0% (receita de R$ 692,5 milhões, contra R$ 888,0 milhões apurados de janeiro a setembro de 2018), trouxeram lucro líquido 18,2% maior, de R$ 140,7 milhões contra R$ 119 milhões.

José Antonio Valiati, CFO e diretor de Relações com Investidores da Marcopolo, destaca a atenção da empresa ao comportamento da demanda por ônibus no mercado brasileiro. Segundo o executivo, a Marcopolo continua com o seu foco em elevação da competitividade, qualidade, segurança e redução de custos.

Após oito trimestres consecutivos de crescimento, a produção brasileira de ônibus mostrou a primeira estabilidade em volumes absolutos no terceiro trimestre deste ano, o que não ocorria desde o terceiro trimestre de 2017. Interpretamos a pausa como um breve respiro frente a uma base comparativa forte estabelecida no 3T18 e não como uma interrupção do processo de recuperação da demanda”, esclarece Valiati.

MERCADO INTERNO

URBANOS – O segmento de urbanos do Grupo Marcopolo segue crescendo, tendo o destaque no mercado de São Paulo, que lidera a retomada como principal destino do modelo no País.

A produção da encarroçadora nos nove meses de 2019 foi de 4.798 unidades, contra 4.883 no mesmo período de 2018. O desempenho, ressalta o comunicado, reflete a redução das exportações de ônibus urbanos em 2019, que teve demanda acima dos volumes tradicionalmente exportados em 2018.

RODOVIÁRIOS – O segmento de rodoviários acusou retração de 3,24%, com 3.105 unidades contra 3.209 do ano anterior, decorrente da forte base de comparação estabelecida no 3º Trimestre de 2018, gerada pela antecipação de compras relativa à entrada em vigor da norma de acessibilidade nesses modelos em outubro de 2018.

MICROS – Já no segmento de micros houve leve crescimento dos volumes, com 1.870 unidades contra 1.828 unidades de janeiro a setembro de 2018.

A unidade de Negócios Volare foi o destaque positivo. A marca líder nacional no segmento de veículos até 10 mil kg de PBT registrou crescimento de 11,1%, com 2.026 veículos fabricados contra 1.824 no ano anterior.

EXPORTAÇÕES

A Marcopolo acompanhou o ritmo das exportações dos fabricantes de ônibus brasileiros, que vêm em 2019 apresentando um desempenho modesto. O Grupo, na mesma linha, apresentou redução de vendas nos principais mercados, em especial, Argentina, Chile e continente africano.

Os destaques positivos nas unidades externas do Grupo foram as controladas Marcopolo México e Marcopolo Austrália.

A unidade mexicana segue sendo beneficiada pela maior produção de rodoviários, enquanto a operação australiana, após reestruturação realizada nos primeiros meses do ano, reverteu prejuízo e reportou lucro de R$ 4,8 milhões no 3º Trimestre de 2019.

O destaque dentre as unidades coligadas continua com a Superpolo, mantendo as entregas para a renovação da frota de Bogotá, na Colômbia.

PERSPECTIVAS PARA O ÚLTIMO TRIMESTRE DE 2019

A companhia espera resultados positivos para o último trimestre do ano, na medida em que elevou a produção nas fábricas brasileiras desde o início de outubro.

O mercado interno continua ganhando representatividade sendo puxado por todos os segmentos e as exportações apresentam sinais de recuperação em relação ao período de julho a setembro deste ano”, destaca o comunicado da Marcopolo.

Com a expectativa de crescimento econômico neste trimestre, a Marcopolo acredita que o ambiente se apresenta propício para a renovação de frotas e realização de investimentos em transporte público de qualidade, com a taxa básica de juros em seu menor nível histórico.

Alexandre Pelegi, jornalista especializado em transportes

Comentários

  1. Endrik Enner disse:

    Exemplo de prosperidade essa Marcopolo Volare

Deixe uma resposta