Região Oeste da Grande São Paulo recebeu 165 ônibus zero quilômetro neste ano, diz EMTU

Publicado em: 3 de novembro de 2019

Novos ônibus possuem ar-condicionado. Foto: Gildo Vendramini

Na última semana, entraram em circulação 20 veículos com ar-condicionado

ADAMO BAZANI

Desde o início deste ano de 2019 até a semana passada, foram colocados em circulação nas linhas metropolitanas da região Oeste da Grande São Paulo 165 ônibus zero quilômetro.

A compra foi feita pelo Consórcio Anhanguera, liderado pela Viação Urubupungá.

A informação é da EMTU – Empresa Metropolitana de Transportes Urbanos, gerenciadora do sistema.

Ainda segundo a EMTU, na última semana, foram colocados em circulação 20 coletivos dotados de ar-condicionado, elevador para cadeira de rodas e tomadas USB para carregamento de celulares e notebooks.

Os veículos são de categoria básica (motor dianteiro e transmissão manual) com capacidade para transportar 35 passageiros sentados e 39 em pé.

O Consórcio Anhanguera opera na Área 2 de concessão da Grande São Paulo, formada pelos municípios de Cajamar, Caieiras, Itapevi, Jandira, Carapicuíba, Osasco, Barueri, Santana de Parnaíba, Pirapora do Bom Jesus, Francisco Morato e Franco da Rocha.

As renovações de frota ocorrem mesmo com a indefinição sobre a licitação do sistema e ônibus metropolitanos na Grande São Paulo, que deveria ter sido realizada em 2016, quando venceram os contratos assinados em 2006. Na área 5, do ABC Paulista, a situação é pior e nunca foi feita uma concorrência para definir as empresas de ônibus. As atuais viações operam a título precário apenas como permissionárias e a frota é uma das mais velhas da Grande São Paulo.

No início do ano, o presidente da EMTU, Marco Antônio Assalve, e o secretário dos Transportes Metropolitanos, Alexandre Baldy, disseram que o edital seria lançado entre o final do primeiro semestre e o início do segundo, o que não ocorreu.

Ainda não há previsão de lançamento do edital.

Adamo Bazani, jornalista especializado em transportes

Comentários

  1. Paulo Gil disse:

    Amigos, bom dia.

    Aqui na Oeste sempre foi assim.

    Senhor Santão, sempre é e sempre será o Senhor Santão.

    Este sim entende de buzão.

    Quando quer, renova frota a qualquer momento e com qualquer tipo de buzão.

    Só esta faltando colocar uns 12 buzões verde para rodar e começar uma nova fase energética; 4 a bateria. 4 a gás e 4 a Alcool.

    Apesar que a Urubu, já rodou com um dos primeiros O 364 a Alcool desde a década de 80.

    Que tal voltar a ser pioneiros de novo em Urubu e Viação Osasco?

    Att,

    Paulo Gil

  2. Renato Vieira dos Santos disse:

    Dinheiro não é problema para esses empresários de onibus. Quando começam a renovar, é um atrás do outro. No Abc já é outro assunto: a mafia dos empresários ditas as regras.

  3. Aguinaldo disse:

    Espero que o município de Caieiras receba alguns desses ônibus porque os que estão trafegando ninguém merece, pagar seis reais a passagem tudo bem mas faça por merecer o valor pago da passagem.

  4. Douglas Isoppi disse:

    Os ônibus da EMTU são uma piada, a gestão não exige evolução na frota, adoção de ônibus maiores, articulados, motor traseiro, linhas novas, estudos adequados desses trajetos intermináveis que muitas vezes ficam rodando diversos bairros da mesma cidade para depois seguir na direção das estações da CPTM e Metrô. Sem falar que a região oeste temos uma população enorme sendo atendida por apenas 2 grandes empresas. Esse monopólio descartado não promovendo concorrência e limitando a qualidade e melhoria.
    Talvez seria o momento do governo do estado de São Paulo exigir uma melhoria, pois o reflexo no trânsito da grande São Paulo região oeste nunca esteve tão caótica.
    E esse modelo de concessão e prestação de serviços saturou, não há vantagem alguma para a população e usuários.

Deixe uma resposta