Prefeitura de Cachoeira do Sul (RS) publica edital do transporte público

Prefeito em exercício, Cleber Cardoso, recebeu os servidores responsáveis pela construção do edital nesta quinta, 31 de outubro

Licitação exige 30% da frota com ar condicionado no início da operação

ALEXANDRE PELEGI

A Prefeitura de Cachoeira do Sul, cidade do interior do Rio Grande do Sul com mais de 80 mil habitantes, publicou nesta sexta-feira, 01 de novembro de 2019, o edital do processo licitatório para contratação de empresa para realizar o transporte público coletivo da cidade.

O aviso de licitação está no Diário Oficial da União desta sexta-feira, 01, marcando a sessão pública para abertura de propostas para 09 de dezembro.

cachoeira_do_sul_licita.png

Segundo a prefeitura, o último edital publicado foi revogado por uma medida cautelar do Tribunal de Contas do Estado do RS. O novo processo está baseado em recomendações do Tribunal.

Além da necessidade da licitação, há uma decisão judicial do Tribunal de Justiça do Rio Grande do Sul que determina a abertura do processo licitatório.

A prefeitura da cidade gaúcha informa que entre as exigências às empresas que se candidatarem à licitação, estão a necessidade da frota ter 100% de acessibilidade no início da operação, e 30% com ar condicionado, chegando a 100% até o 5º ano.

No item idade da frota, os ônibus deverão ter 6 anos de idade média e 10 anos de idade máxima, e todos com GPS embarcado, além da empresa oferecer um aplicativo gratuito para o usuário consultar horários, rotas e outros detalhes sobre o serviço.

A tarifa máxima a ser praticada será de R$4,26.

A Prefeitura não exigirá outorga da empresa vencedora.

O edital ficará publicado no site da prefeitura por 40 dias.

O prefeito em exercício de Cachoeira do Sul, Cleber Cardoso, afirmou que com esse processo licitatório a população terá um ganho, e “poderá cobrar um serviço de qualidade, assim como a Prefeitura fiscalizará o que for exigido no contrato”.

Alexandre Pelegi, jornalista especializado em transportes

Compartilhe a reportagem nas redes sociais:
Comentários

Deixe uma resposta